Pastorais
A SERENIDADE DOS QUE ESTÃO FIRMADOS NA VERDADE

3 de setembro de 2018

Antes de tornar público o que você pensa, é essencial averiguar os possíveis efeitos colaterais. Existe uma atmosfera de “raivosa” intolerância produzindo desentendimentos, conflitos e agressões em temperaturas cada vez mais elevadas. Os que defendem um determinado ponto de vista não admitem deduções ou percepções diferentes e atacam os seus opositores com discursos envoltos dos piores sentimentos. Os meios de comunicação não apenas possibilitam o acesso a este ambiente, como também estimula a participação nos incontáveis ringues virtuais.

Diante deste cenário surge uma intrigante pergunta: onde está o discurso do relativismo tão enfatizado pela sociedade pós-moderna? A ideia não era cada um ser feliz com a sua própria verdade, sem querer impor aos outros os seus princípios absolutos e inquestionáveis? Parece que mais uma vez as vulneráveis e frágeis estruturas filosóficas sucumbem diante da realidade. Muitos grupos com as mais variadas propostas utilizam todos os recursos (inclusive a mentira) para convencer que estão com a verdade.

A igreja cristã foi fortemente atacada por confessar a Palavra de Deus como única regra de fé e prática. Houve uma tentativa de jogar os valores cristãos na vala do relativismo com a tese de que um posicionamento não poderia vigorar sobre o outro. No entanto, os autores deste projeto tinham estratégias que hoje podem ser facilmente identificadas. A intenção era desestabilizar a ética cristã que norteia indivíduo, família e sociedade para estabelecer um sistema de crenças não apenas ateu, mas também anticristão. O discurso de múltiplas verdades era apenas o meio para desconectar as novas gerações dos princípios e valores cristãos.

As teorias e teses acadêmicas podem variar de acordo com os interesses de uma época. Com o advento da tecnologia, o mundo se transforma em uma velocidade jamais observada. Diante deste cenário, a igreja prossegue convicta de que a Bíblia é a verdade divinamente revelada para instruir todos aqueles que creem em Jesus como salvador. A Palavra de Deus não se submete às oscilações e destemperos de um período histórico. Pelo contrário, segue firme e atravessa a história antiga, a idade média, moderna, contemporânea, pós-moderna e chega aos dias atuais como verdade divina.

A partir dos princípios bíblicos, os cristãos são orientados a agir e reagir com amor, paciência, mansidão, bondade e domínio próprio (Gl 5:22,23). Os embates “raivosos”, muitas vezes, são tentativas desesperadas dos defensores do relativismo em convencer a sociedade das suas convicções. Por isso, é importante que a igreja prossiga amorosa, firme, serena, temperante, ou seja, marcada pelo fruto do Espírito. Desta forma, o nome de Cristo será glorificado em cada palavra emitida por aqueles que estão firmados na Verdade.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena

Share