Pastorais
AS MARCAS DA IGREJA VERDADEIRA

11 de janeiro de 2020

Vivemos tempos de muita confusão. Ao mesmo tempo em que algumas pessoas afirmam não existir verdade absoluta, elas mesmas pregam que a verdade delas é absoluta, e não há nada nem ninguém que possa questioná-las, nem mesmo confrontá-las com outro tipo de discurso. Nesse sentido, é importante estarmos sempre prontos para responder a todo aquele que nos pedir razão da nossa esperança (1Pe 3.15). Ao observarmos a nossa volta, muitos estão estereotipando o que seria uma igreja, com rótulos e discursos que não condizem com a realidade. Com isso, torna-se importante para o crente saber quais são as marcas de uma igreja verdadeira.

A primeira marca da igreja verdadeira é a pura ministração da Palavra de Deus. Herman Bavinck afirma que, por meio da Palavra, Cristo regenera (Tg 1.18; 1Pe 1.23), gera fé (Rm 10.14; 1Co 4.15), purifica e santifica a igreja (Jo 15.3; Ef 5.26). Aqueles que foram regenerados e renovados pela Palavra de Deus, são chamados a confessar a Cristo (Mt 10.32; Rm 10.9), ouvir sua voz (Jo 10.27), cumprir Sua Palavra (Jo 8.31,32; 14.23) e se afastar daqueles que não seguem essa doutrina (Gl. 1.8; Tt 3.10; 2Jo 9). Como escreveu Calvino, a Palavra é, verdadeiramente, a alma da igreja.

A segunda marca da igreja verdadeira é a correta ministração dos sacramentos (ceia do Senhor e batismo). Os sacramentos extraem o seu conteúdo da própria Palavra de Deus, por isso não se pode separá-los. Berkhoff afirma que a ministração dos sacramentos é tal como que uma pregação visível da Palavra de Deus. Passagens que corroboram esse entendimento são Mt 28.19; Mc 16.15, 16; At 2.42; 1 Co 11.23-30.

A terceira marca da igreja verdadeira é o fiel exercício da disciplina. Vivemos tempos em que disciplinar virou sinônimo de retrocesso, de legalismo, etc., mas não é isso que observamos na Palavra do Senhor, inclusive pelo fato do nosso Deus nos disciplinar (Dt 8.5). Isso ocorre, conforme nos escreve Berkhoff, para a manutenção da pureza da doutrina e salvaguardar a santidade dos sacramentos. A Palavra de Deus insiste na adequada disciplina: Mt 18.18; 1Co 5.1-5, 13; 14.33, 40; Ap 2.14, 15, 20.

Que você tenha um coração grato a Deus por fazer parte de uma igreja genuína e verdadeira. Uma igreja que prega a Cristo, como disse Paulo em 1Co 1.23: “mas nós pregamos a Cristo crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os gentios”. Não somos uma igreja perfeita, mas somos uma igreja que busca, na Palavra de Deus, a excelência em Cristo Jesus.

Que Deus te abençoe!

Rev. Guilherme Jayme Travassos Esperança

Share