Pastorais
BUSQUE O EQUILÍBRIO

20 de outubro de 2018

Queridos irmãos, não consigo deixar de falar sobre as eleições no Brasil,
que estão transformando os brasileiros. Não me recordo de um momento tão
tenso e intenso marcado por discussões tão acirradas sobre política, economia,
etc. Me parece que não existe um ambiente sequer onde essa discussão não
esteja presente; seja em família, entre amigos, na rua, nas praias, nos campos, nos bares, esquinas e redes sociais. Em particular, nesse novo instrumento de
comunicação, as redes sociais, a coisa está tomando uma proporção impressionante. Mas infelizmente ela está vindo acompanhada de exageros.
Tomados por muita emoção, sentimentos legítimos, e até ponderações razoáveis,
as pessoas tem extrapolado limites no relacionamento virtual. Tem escrito coisas bárbaras, ofendido umas às outras, propagado fake-news sem qualquer crítica, e etc. No Facebook, infelizmente, vejo vários irmãos passando do limite, e se engajando em embates verborrágicos que tem causado muito dano. Nos grupos de WhatsApp, vemos brigas entre familiares e amigos que sempre conviveram bem. Vamos com calma!!

Em tempos assim, nossa palavra pastoral aos irmãos é fundamentada nos
conselhos do apóstolo Pedro que nos diz na sua 1ª epístola: “Pois quem quer
amar a vida e ver dias felizes refreie a língua do mal e evite que os seus lábios
falem dolosamente; aparte-se do mal, pratique o que é bom, busque a paz e
empenhe-se por alcançá-la.” (1Pe 3: 10-11)
Irmãos, nós como cristãos somos chamados à temperança, a buscarmos ser pacificadores, a termos a palavra certa a seu tempo, e com o tempero do amor de Cristo. Se nos deixamos tomar pelas emoções e sentimentos que tem
permeado todo esse momento eleitoral, vamos seguramente nos machucar. Precisamos ser mais criteriosos. Não dar continuidade a discussões que
passaram para o campo da ofensa. Não escrever coisas que depois vão nos trazer vergonha e arrependimento. Elas ficam lá, registradas, pra qualquer um ver e depois nos confrontar. Precisamos colocar em prática os frutos do Espírito Santo que o apóstolo Paulo nos apresenta na epístola aos Gálatas, em destaque, paz, longanimidade, mansidão e domínio próprio.

Que nossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para sabermos como devemos responder a cada um. (Cl 4:6)
Que Deus nos ajude.

Rev. Antonio Alvim Dusi Filho

Share