Pastorais
A VITORIA QUE VENCE (1 JO 5:4 )

22 de julho de 2018

Final de Copa, que evento tremendo
Que deixa lembranças, a alma doendo
De tantos tentando a vitória em vão!
Singela e tão única motivação!

Jogos corridos, o tempo é algoz;
Hinos cantados a uma só voz.
Esperança pulsante em prazer fugaz,
Morta no apito de um juiz audaz.

Que tanto “frisson” que nos faz esquecer
Que há outro “jogo” que se há de vencer,
No qual o outro time, sagaz adversário,
Não joga tão limpo, o espírito é contrario!

Distorcem as regras, desprezam a justiça.
Aos maus chamam bons, cobiça os atiça.
Um mundo em trevas no qual o cristão
Por Deus foi chamado, santa vocação!

De viver no mundo como sal e luz,
De amar ao próximo, de levar sua cruz,
De viver pra Cristo e sobre ele lançar
Toda ansiedade, angustias sem par.

Tendo a fé ardente, que é dom de Deus,
A fé que ao mundo vencendo, os seus
Declaram perante a toda a nação
Que só em Jesus é que há salvação.

Amando a Lei, de Deus os mandamentos
Seguindo o jogo, boas obras seus tentos
Noventa minutos sem prorrogação
Jogados aguardando santa redenção.

Rev. Antonio Alvim Dusi Filho



Share
OS CAMPEÕES DO MUNDO

12 de julho de 2018

Para ser campeão do mundo é necessário preparo físico, equilíbrio emocional, comprometimento com a equipe, concentração, confiança, superação e muito desejo de atingir o objetivo. Diante destas exigências, dois times chegaram ao topo na última semana: os 13 Javalis e os 90 mergulhadores. É claro que não pode ficar de fora a multidão com mais de 1000 voluntários contribuindo com o sucesso das equipes.

No dia 23 de junho, na Tailândia, 12 adolescentes de um time de futebol e o técnico foram passear de bicicleta e por causa de uma tempestade se protegeram na caverna Tham Luang. O problema é que a água subiu muito e deixou o grupo preso. Eles permaneceram isolados e sem comida por 9 dias até que o outro time entrou em campo, os mergulhadores ingleses. Eles encontraram o grupo exausto a 4km da entrada da caverna e a 1km de profundidade.

O resgate começou no último domingo e terminou na terça-feira com todos salvos. Uma operação de alto risco, pois em alguns trechos debaixo d´água o túnel tinha apenas 60cm de altura. Infelizmente, no dia 05 de julho, o mergulhador da marinha tailandesa, Saman Kunan, levou suprimento alimentar para o grupo e morreu ao ficar sem oxigênio no retorno.

As torcidas nesta Copa do Mundo ficaram divididas. As emissoras de todo o mundo cobriram os dois eventos. Hora as pessoas torciam para as suas seleções na Rússia, hora todas as nações se uniam na torcida pelos 13 Javalis e os incansáveis mergulhadores na Tailândia. De um lado um dos entretenimentos mais elaborados e caros da terra e do outro, o drama real de viver em um mundo que transforma um simples passeio numa tragédia tão próxima da fatalidade.

Estes acontecimentos podem produzir algumas reflexões importantes. É claro que se divertir faz bem, no entanto, para muitos a vida tem se tornado um grande parque de diversão. O investimento dos recursos financeiros, do tempo e das emoções demonstra o risco de ter o coração comandado pelo que é supérfluo. É impressionante o quanto alguns colocam uma intensa carga emotiva em coisas irrelevantes e, por outro lado, ignoram assuntos que deveriam produzir compaixão, intercessão e ação. Os evangelhos revelam o quanto Cristo envolveu com aquilo que era essencial e prioritário.

Outro destaque é o altruísmo dos mergulhadores. Eles se arriscaram para salvar os que estavam perdidos e isso custou a vida de um deles. A essência da fé cristã está pautada na decisão do Pai em enviar o seu Filho para resgatar aqueles que estavam perdidos e sem esperança. Esta missão envolvia, obrigatoriamente, a morte do Salvador: “Ele vos deu a vida quando estáveis mortos pelos vossos delitos e pecados” Ef 2.1.

Por último, a vitória das vitórias está reservada àqueles que têm os seus corações lavados pelo sangue de Jesus. “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou” Rm 8.37. Uma seleção preparada pode vencer a Copa do Mundo, mergulhadores experientes podem resgatar adolescentes perdidos, mas a vitória sobre a morte, somente através da obra de Cristo. “Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como também eu venci e me sentei com meu Pai no seu trono” Ap 3.21.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena



Share
O RETROCESSO DO AVANÇO

28 de junho de 2018

Vários fatores foram responsáveis pelas inúmeras transformações sociais nas últimas décadas. A humanidade foi beneficiada não apenas com o aumento da expectativa de vida, mas também com uma serie de recursos para manter a qualidade física. Os ambientes públicos como academias, restaurantes e igrejas comprovam essa transformação social. Paradoxalmente, a depressão, a ansiedade e as preocupações se tornaram um tormento universal. Parece que as curas para os males físicos evoluíram na mesma proporção que as feridas da alma. O mercado farmacêutico nunca faturou tanto com antidepressivos e ansiolíticos.

Ao observar a espiritualidade no Ocidente, o que se percebe é um descaso completo na relação com o divino. As pessoas estão centradas em si mesmas e convictas de que todo o sucesso depende, exclusivamente, do esforço e da dedicação pessoal. A hostilidade a tudo o que se refere a Deus estampa a ignorância e o desprezo de uma geração para com o criador e sustentador de todas as coisas.

Estas observações demonstram que à medida que Deus se torna desinteressante para a humanidade, as consequências são inevitáveis. Muitas perturbações internas decorrem da ausência de sentido para permanecer vivo. O rei Salomão diz em Eclesiastes que é como correr atrás do vento.

A produção intelectual, o progresso econômico, o desenvolvimento da medicina, as opções de entretenimentos e o avanço tecnológico não são capazes de corresponder aos anseios mais profundos da humanidade. Toda essa estrutura expressa a tentativa de fazer a tão fugaz existência valer à pena. Com o discurso de tornar o mundo melhor para as próximas gerações, os homens destroem descontroladamente o planeta terra.

Acerca desta situação, Blaise Pascal escreveu o seguinte: o homem vive uma busca inútil, pois nada encontra que o possa ajudar. Apenas consegue enxergar um abismo infinito que só pode ser preenchido pelo Único que é infinito e imutável. Em outras palavras, este abismo só pode ser preenchido por Deus. Nenhum benefício produzido pelas mãos e pelos cérebros dos homens pode ocupar o lugar que pertence a Deus em seus corações.

A sofisticação do século XXI não foi capaz de aplacar as mazelas da alma humana. Se o avanço nas diversas áreas da vida é utilizado para aumentar a distância entre o homem e Deus, então, o diagnóstico do retrocesso é inevitável. As agitações externas se esforçam para abafar o grito desesperador de uma alma que não encontra sossego e paz.

Jesus disse: “eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10.10). Ele é o maravilhoso conselheiro e Príncipe da Paz (Is 9.6). Ele é o único que dá a vida pelos seus seguidores (Jo 10.11). Ele é o Deus encarnado que morreu e ressuscitou para garantir aos seus discípulos a vida eterna 8At 1.6-11. Ele é o Deus sustentador que diz: Não andeis ansiosos por coisa alguma, pois eu cuido de vocês! (Mt 6.25-34).
O avanço verdadeiro ocorre quando o homem se aproxima do seu Criador e Redentor. Todos os benefícios desta era devem ser utilizados para a glória do Senhor. Ame a Deus sobre tudo e, naturalmente, as demais coisas ocuparam os lugares adequados.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena



Share
VOCÊ, SIM, VOCÊ!

22 de junho de 2018

Você foi um poderoso instrumento de Deus e nem percebeu! Uma das coisas mais belas no cristianismo está no fato de sermos uma grande bênção e não percebermos isto em nosso dia a dia.

Jesus nos ensina nos evangelhos que os cristãos no dia da volta de Cristo irão se surpreender quando Deus lhes disser que eles realizaram a missão. O motivo desta surpresa está no fato de que a Igreja, como corpo saudável, caminha, trabalha e realiza de maneira natural. A obra é extraordinária, mas você, cristão, não percebe que você é um instrumento que Deus tem usado para abençoar milhares de vidas. (Mt 25.34-40)

Mas, eu gostaria de falar com você, sim, você!

No último domingo nossa Igreja organizou mais uma Igreja filha, ou seja, nasceu a Igreja Presbiteriana Raízes. Ao organizar esta nova igreja saiba que você foi parte deste processo.

A Igreja da Gávea investiu em um pastor-plantador, mesmo sem ele estar trabalhando diretamente na Gávea. Isso é visão missionária! Você, querido membro desta Igreja, orou, apoiou e com generosidade e fidelidade investiu recursos financeiros nesta obra. A Igreja da Gávea pode, então, convidar outras igrejas para somar na parceria. Viajamos pelo Brasil e EUA para buscar parceiros. Isto só foi possível, porque você estava orando e apoiando. O sonho se tornou realidade. Agora temos mais uma igreja filha, já são 16 igrejas plantadas pela Gávea.

Quando uma igreja nasce, milhares de pessoas poderão ouvir o evangelho. Milhares de vidas serão tocadas pela graça de Deus para a glória de Deus. Lares serão transformados através da pregação do evangelho de Deus. Homens e mulheres que vivem sem esperança poderão agora ouvir a palavra de Jesus Cristo que traz paz, alegria, fé e esperança aos corações! Adolescentes e Jovens que enfrentam sérios problemas em suas casas, escola ou trabalho poderão ouvir o evangelho libertador e poderoso de Cristo. A criança que vive em um lar cheio de drogas e violência doméstica poderá ver seu lar se transformar em um ambiente de paz e amor, assim que o evangelho de Jesus Cristo alcançar os corações de sua família. Vidas reconciliadas com Deus, pela graça de Deus e para glória de Deus! Qual o instrumento que Deus usará? A Igreja!

Mas a Igreja somos todos nós, pessoas como você! Você, sim, você! Deus está usando sua vida, para transformar outras vidas através da plantação de novas igrejas, por isso, celebre, louve, ore, contribua, seja sempre uma bênção!

Que Deus nos abençoe na plantação de novas igrejas!

Rev. Leonardo Sahium



Share
A igreja é uma bênção!

15 de junho de 2018

“Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam o pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.” (At 2:46-47)

Irmãos que benção é a igreja! Desfrutar de um ambiente onde compartilhamos da mesma fé, apesar de sermos tão diferentes uns dos outros. Onde dividimos os fardos da vida. Onde aprendemos sobre nós mesmos e sobre o caráter do nosso Deus. É maravilhoso!

Como na igreja primitiva, relatada no texto de Lucas acima, a vida na igreja cristã é uma vida de perseverança. E não é uma perseverança solitária. Podemos olhar para o lado, em todas as direções na realidade, e constatarmos que estamos ombreados por irmãos e irmãs que juntamente conosco perseveram. Atravessamos juntos os mares da vida, recebendo alento no momento da dor, compartilhando alegria no momento da vitória, desfrutando da companhia no momento da solidão, alcançando ajuda na hora da carestia. A igreja de Cristo é uma benção em nossas vidas e na de nossas famílias!

A igreja também é local que promove resistência: juntos resistimos à pressão de um mundo sem Deus, levando adiante os valores e a ética de Cristo. Juntos levantamos uma só voz dizendo que a solução para os problemas da sociedade é o Amor. Amor sacrificial, capaz de levar o nosso mestre a uma morte maldita, morte de cruz, morte vicária. Na igreja somos alimentados pela vida que provém da morte e ressurreição do nosso Senhor.

Igreja também é um local para vivermos a simplicidade das coisas boas: um bom papo ao redor da mesa, uma boa refeição regada com a alegria da companhia, uma boa brincadeira desprovida de malícia e de maldade. Igreja é lugar de simpatia que contagia os outros.

Irmãos, precisamos valorizar a igreja cada vez mais. Precisamos celebrar nossa comunhão cada vez mais. Precisamos fazer da igreja um local onde nossos filhos e nossas famílias amem estar. Precisamos ter cuidado com a crítica feroz feita nos almoços familiares aos domingos. Elas destroem a imagem da igreja.

Valorizemos a igreja!

Rev. Antonio Alvim Dusi Filho



Share
O DESAFIO DA SAF COM AS PRÓXIMAS GERAÇÕES

9 de junho de 2018

O ser humano é desafiado a viver em comunidade. A família, os vizinhos, a escola, os clubes e as diversas instituições demonstram o quanto a interação social é importante para a saúde o bem-estar do indivíduo. Todo núcleo de convivência tem as suas regras para que o funcionamento encontre êxito. Por exemplo, um clube é restrito aos sócios, uma sociedade discreta possui critérios para selecionar os participantes e uma escola não pode ultrapassar o propósito para o qual foi estabelecida. Tudo isso é estabelecido através de estatutos.

A igreja é uma comunidade diferenciada em vários aspectos. Assim como o Senhor Jesus Cristo, ela é instruída a acolher homens, mulheres, adultos, jovens e crianças independente das diferenças físicas, sociais e culturais. A saúde de uma igreja se manifesta na sua capacidade de amar as pessoas assim como Jesus, o dono da igreja, ama.
A igreja foi separada por Deus para fazer diferença num mundo sombrio e desesperador. Todos os membros, departamentos e ministérios são comissionados para resplandecer a poderosa luz de Cristo tanto na geração presente como nas futuras. Esta foi a missão de milhares de cristãos ao longo da história.

A Bíblia nos mostra que a piedade e o trabalho das mulheres sempre foram fundamentais no anúncio do amor de Deus ao mundo. Nesta obra, mulheres como Rute e Noemi (Rt 1-4), Maria e Marta (Lc 10.38-42), Eunice e Lóide (2 Tm 1.5) e tantas outras se destacaram pelo zelo com que tratavam Deus e o seu Reino. Mulheres engajadas na oração, dedicadas no serviço e comprometidas com a evangelização.

Os exemplos de mulheres piedosas saltam da Bíblia, transcorrem a história e chega até os dias atuais por causa do compromisso que muitas tiveram de discipular as futuras gerações. É importante que as irmãs maduras espiritualmente instruam as mais novas, conforme escreveu Paulo a Tito: “Semelhantemente, ensine as mulheres mais velhas a serem reverentes na sua maneira de viver, a não serem caluniadoras nem escravizadas a muito vinho, mas a serem capazes de ensinar o que é bom. Assim, poderão orientar as mulheres mais jovens a amarem seus maridos e seus filhos, a serem prudentes e puras, a estarem ocupadas em casa, e a serem bondosas e sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja difamada (Tt 2.3-5).

Este também é o trabalho que a Sociedade Auxiliadora Feminina da Igreja Presbiteriana da Gávea desenvolve há 51 anos. Um grupo de mulheres que experimenta a vida abundante oferecida por Cristo e se dispõe a servi-lo e ama-lo alegremente. Elas descansam no Senhor, confiam no seu cuidado e experimentam da paz que o mundo não pode oferecer. Elas buscam a centralidade de Deus e dependem completamente dEle. Encontraram o sentido da vida e correm para os braços do Pai em tempos de aflição. Que Deus abençoe cada uma das irmãs e as capacite no desafio de transmitir este compromisso de fé às futuras gerações de mulheres. Que esta obra continue frutífera e abençoadora.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena



Share
UMA ORAÇÃO HONESTA

5 de junho de 2018

“Estou cansado, ó Deus; estou cansado e exausto, ó Deus.
Sou o mais tolo dos homens e não tenho discernimento.
Não aprendi a sabedoria humana, nem tenho conhecimento do Santo.”
(Provérbios 30.1-3, NVT)

Orar é falar com Deus! Orar é abrir o coração na presença de Deus e contar nossos sonhos, desejos, frustrações, expectativas, impressões e acima de tudo ser grato. Uma boa oração é aquela que é cheia de fé e honestidade. Deus odeia a hipocrisia, pois, ela transforma a conversa em bajulação e esconde suas reais intenções, isso prejudica a verdadeira relação com Deus.

Este homem ora de maneira honesta. Ele não esconde sua frustração diante de Deus, observe, que não existe uma terceira pessoa neste diálogo. Ele fala diretamente com Deus, expõe suas dores e diz com todas as palavras que está cansado! Seu cansaço é intenso e, por isso, ele repete de maneira efusiva; “estou cansado, estou cansado e exausto, ó Deus”.

Seu cansaço o levou a exaustão, portanto, percebemos que em um determinado momento da sua história, ele já sabia que estava cansado, mas mesmo assim, continuava seguindo a agenda estressante, buscava se superar, alcançar suas metas pessoais, achava-se sábio, mas estava cumprindo a agenda de um tolo. O resultado foi a exaustão e a confirmação que vem de suas próprias palavras: “sou o mais tolo dos homens”.

Uma coisa interessante, ele descobriu que se tivesse discernimento, para saber escolher o que era certo e evitar o que era errado, teria alcançado a paz e estaria cheio de vigor, mas seu discernimento foi equivocado, e as escolhas erradas levaram ele ao cansaço e a exaustão.

Agora, diante de Deus, ele ora e diz, que lhe faltou sabedoria humana e conhecimento do Santo. A Bíblia nos diz que se alguém tem falta de sabedoria, deve pedir a Deus, que por Sua imensa graça pode nos dar. “Se algum de vocês precisar de sabedoria, peça ao nosso Deus generoso, e receberá. Ele não repreenderá por pedirem. Mas, quando pedirem, façam-no com fé, sem vacilar” (Tiago 1.5-6, NVT)

O nome deste homem era Agur, uma pessoa sem história, um homem comum, mas que andava com Deus. Agur se parece conosco, afinal, não são poucas às vezes que também nos encontramos cansados e até exaustos. Vamos aprender com ele, e abrir nosso coração em oração na presença de Deus. E nestes momentos aprender e experimentar, que os que confiam no Senhor não se abalam, superam seu cansaço, pois, no Senhor renovam suas forças.

Que Deus nos abençoe!
Rev Leonardo Sahium



Share
A NECESSIDADE FLÚIDA DA ADAPTAÇÃO

24 de maio de 2018

Queridos irmãos, se tem uma coisa difícil nos dias de hoje é essa constante necessidade de nos adaptarmos às rápidas mudanças na sociedade. Nossas relações mudaram com as redes sociais, nosso trabalho mudou com as transformações nas formas de se fazer negócio e de interagir com as pessoas, nossa espiritualidade mudou diante de tantas polarizações ou até mesmo de uma religiosidade multifacetada. Nos sentimos como alguém que caminha sobre um solo em movimento, agitando-se aleatoriamente em várias direções, como em um terremoto onde a terra desliza sobre a terra, ao sabor das ondas sísmicas. Eu já estive em um grande terremoto – o de São Francisco em 1989. A certeza que se tem quando se vive uma experiência dessas, é que não dá para ter certeza de nada do que virá depois do tremor. Mas uma coisa é certa: temos que estar prontos a nos adaptar ao próximo momento.

Em nossas vidas não é diferente. Nós todos precisamos estar cientes da necessidade de adaptação e de mudanças em nossas vidas, relações, famílias, amizades, igreja e trabalho. Precisamos levar isso a sério, pois tem fortes impactos no curso da nossa vida. Precisamos adaptar nosso modo de pensar, nossas posturas, nossas atitudes e nossos hábitos. Não quero dizer adaptações que desconstroem nossos alicerces de fé cristã nem relativizam os valores de Cristo. Afinal, somos cristãos, cremos em Jesus e em seus ensinamentos, e nisso nos firmamos. Mas precisamos estar abertos a mudanças motivadas pela nossa própria crença em Cristo e pelo agir do Espírito Santo em nós. Olhares mais piedosos para com aqueles que nos ofendem, atitudes mais compassivas para com aqueles que passam necessidades, mais pró-atividade em nossas relações familiares visando a harmonia, coragem de sermos mais verdadeiros em nos nossos relacionamentos, auto avaliação de nossa postura profissional, abertura para aprender uma nova disciplina.

Apóstolo Paulo exortou aos cristãos em Roma dizendo: “não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”(Rm12:2). Imaginem que contexto difícil foi aquele! Culto ao imperador e intolerância religiosa! Era necessária uma transformação interior e exterior. À medida em que mudamos nossa mentalidade e não nos conformamos com este século, viabilizamos o caminho para experimentarmos a vontade de Deus. Uma mudança interior que transforma o exterior. Renovarmos nossas mentes significa olharmos a vida com as lentes de Cristo e mudarmos pensamentos, atitudes e direções. Pense nisto.

Deus te abençoe.

Rev. Antonio Alvim Dusi Filho



Share
PROVIDÊNCIA E CONTENTAMENTO

19 de maio de 2018

A verdadeira teologia precisa conectar-se com a vida prática. O acúmulo e a sistematização de doutrinas bíblicas tornam-se relevantes à medida que transformam os pensamentos, as emoções, as vontades e as ações. A teologia saudável produz uma espiritualidade vigorosa e não existe piedade consistente sem estudo bíblico comprometido.

A teologia da providência estabelece que Deus preserva e governa todas as coisas. Esta doutrina surgiu para contrapor tanto os filósofos epicureus, que diziam que o mundo é governado pelo acaso, como os estoicos, que atribuíam a direção do universo ao destino. A teologia da providência foi atacada nos séculos XVIII e XIX pelo deísmo. Os deístas ensinavam que após criar todas as coisas, Deus deixou a sua obra.

O teólogo Louis Berkhof define providência como o permanente exercício da energia divina, pelo qual o Criador preserva todas as Suas criaturas, opera em tudo que se passa no mundo e dirige todas as coisas para o seu determinado fim. De acordo com Heber Campos, a providência divina é uma atividade do Deus trino por meio do qual ele: (a) provê as necessidades de suas criaturas, (b) preserva todo o universo criado, (c) dirige todos os caminhos individualmente, (d) governa toda a obra de suas mãos, (e) retribui todas as obras más, e (f) concorre em todos os atos de suas criaturas racionais, sejam atos bons ou maus, de modo que nada escapa do seu controle.

O Deus que cria é o mesmo que governa, preserva e sustenta todas as coisas. O autor de Hebreus escreve: “Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder”. Tudo está debaixo do cuidado divino e, conforme escreveu Herman Bavinck, Ele sustenta todas as Suas criaturas, dirige os seus passos e as têm como barro nas mãos do oleiro (Is 29.16, 45.9).

A teologia da providência divina precisa gerar um comportamento espiritualmente adequado. Se Deus sustenta, governa e preserva a sua criação, resta aos que creem nEle a prática do contentamento. Deus é bom e tudo está no seu controle, desta forma, é necessário desenvolver a gratidão e a alegria. O apóstolo Paulo diz que aprendeu a viver contente em toda e qualquer situação (Fp 4.11). Isso não significa que ele não tinha problemas, pelo contrário, o apóstolo entendeu que todas as suas dificuldades eram controladas e monitoradas por Deus. Ele também tinha ciência de que o Espírito Santo o capacitaria para enfrentar cada uma das suas adversidades.

Nada, absolutamente nada que acontece na sua vida está fora do controle e do governo de Deus. Descanse no seu governo, confie na sua soberania e creia na divina providência. Ele sabe das suas necessidades e, como Pai amoroso irá supri-las de acordo com a Sua vontade soberana.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena



Share
Uma vez mãe…

11 de maio de 2018

Cenas comuns em uma manhã no aeroporto, esperando mais um voo. Uma mãe carrega no colo um bebê, toda cuidadosa, embrulha com carinho e atenção seu filhinho recém-nascido. Pelos corredores, uma criança que acaba de aprender a andar, corre de um lado para outro e logo atrás, uma mãe tenta desesperadamente acompanhar e amparar para que ele não se machuque. Não faltam olhares que combinam sorriso e compreensão.

Sentada ao lado de sua mãe, uma adolescente sorri mostrando fotos e ela atenta, parece conhecer o que a filha pensa. Na mesa do outro lado, uma mãe jovem, conta a alegria de saber da aprovação de seu filho no vestibular, suspira toda orgulhosa. Ops! Meu celular vibrou, Cristiane falando da agenda de nossos filhos e quando estou prestes a embarcar outra vez o WhatsApp chama, minha mãe envia seu tradicional e amoroso bom dia! É exatamente aqui que eu penso: “uma vez mãe, mãe para sempre!” Não importa se é apenas um bebê ou um adulto que já é pai, mãe será sempre aquela que observa, elogia, ensina, celebra, se preocupa, cuida, protege e ora! E como as mães oram! Penso que se fossemos fazer uma pesquisa sobre as pessoas que mais oram, as mães venceriam de longe!

Essa semana o comércio celebrou a segunda semana de maiores vendas do ano! Dia das mães só perde para a época do natal. Mas a explicação é simples, no natal as mães saem às compras! Lista de mãe é imbatível em qualidade e quantidade de presentes!

Que Deus continue abençoando nossas mães, que elas continuem nos fazendo lembrar a importância da fé, do amor e da esperança! Que todos possamos aprender com elas que não importa a idade, temos que amar ao próximo como a nós mesmos, afinal, elas aprenderam com nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

Como nos ensina Provérbios 1.8 – 9: “Filho meu, ouve o ensino de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe. Porque serão diadema de graça para a tua cabeça e colares, para teu pescoço.”

Parabéns, mães, pelo seu dia! Que Deus abençoe suas vidas com muito amor, alegria, saúde e paz!

Rev Leonardo Sahium



Share