Pastorais
HÁ CAUSA NO SOFRER?

16 de agosto de 2018

O meu coração com frequência questiona:
Que razão há para tantos sofrimentos?
A trama da vida que a todos nos tensiona,
Fazendo-a dura e difícil em momentos.

Angustia n’alma e por vezes falta-nos calma,
Confusos, vivendo uma luta silente.
Que rumo seguir? Pergunta tão presente…
Pra longe de tal sofrimento da alma.

O néscio é cego e rejeita o saber.
O sábio é lúcido e entende o sofrer.
É na dor tão atroz que se forja o caráter,
Daqueles que dependem totalmente do Crer.

Alegria perene que transcende o momento,
Tenha fé e se firme, esperança renovada.
Persevere incansável apesar do sofrimento,
Tendo a Cristo como exemplo nesta breve caminhada.

Diga: Tudo posso Naquele que minh’alma fortalece
Ciente que “tudo” inclui até a morte se ver.
Pois aqueles que lutam tendo nos lábios uma prece,
Ao fim experimentarão o gozo eterno do viver.

Não questione a Deus a causa de tanto sofrimento
Pois dificilmente uma resposta você obterá.
Prossiga resiliente, apenas confiando,
Entregue-O seu caminho e o mais Ele fará.

Rev. Antonio Alvim Dusi Filho



Share
DIRETRIZES PARA ELEIÇÃO DE OFICIAIS NA IGREJA

11 de agosto de 2018

Os oficiais da Igreja Presbiteriana do Brasil são escolhidos através de uma eleição. Os votos dos membros sinalizam a vontade de Deus para a composição do Conselho e da Junta Diaconal da igreja. Por isso, é importante o preparo espiritual de todos os que participam deste processo. Ao narrar o início das igrejas cristãs, Lucas escreve: “E, promovendo-lhes, em cada igreja, a eleição de presbíteros, depois de orar com jejuns, os encomendaram ao Senhor em quem haviam crido.” (At 14.23). É importante que os membros da igreja orem e jejuem suplicando pelo discernimento do Espírito Santo na escolha dos seus líderes.

As qualificações foram escritas por Paulo a Timóteo em I Tm 3. 1 – 10 que devem ser identificadas na vida daqueles que almejam o oficialato: 1- Fiel é a palavra: se alguém aspira ao episcopado, excelente obra almeja. 2 – É necessário, portanto, que o bispo seja irrepreensível, esposo de uma só mulher, temperante, sóbrio, modesto, hospitaleiro, apto para ensinar; 3 – não dado ao vinho, não violento, porém cordato, inimigo de contendas, não avarento; 4 – e que governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito; 5 – (pois, se alguém não sabe governar a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?); 6 – não seja neófito, para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do diabo. 7 – Pelo contrário, é necessário que ele tenha bom testemunho dos de fora, a fim de não cair no opróbrio e no laço do diabo. 8 – Semelhantemente, quanto a diáconos, é necessário que sejam respeitáveis, de uma só palavra, não inclinados a muito vinho, não cobiçosos de sórdida ganância, 9 – conservando o mistério da fé com a consciência limpa. 10 – Também sejam estes primeiramente experimentados; e, se se mostrarem irrepreensíveis, exerçam o diaconato.

O Artigo 55 da Constituição da IPB orienta quanto ao compromisso e a piedade dos oficiais: “Art. 55 – O presbítero e o diácono devem ser assíduos e pontuais no cumprimento dos seus deveres, irrepreensíveis na moral, sãos na fé, prudentes no agir, discretos no falar e exemplos de santidade de vida.” O Manual Presbiteriano também apresenta o fundamento constitucional para a eleição de pastores, presbíteros e diáconos no Artigo 9º: “A assembleia geral da Igreja constará de todos os membros em plena comunhão e se reunirá ordinariamente, ao menos uma vez por ano, e, extraordinariamente, convocada pelo Conselho, sempre que for necessário, regendo-se pelos respectivos estatutos. §1º – Compete à assembleia: a) eleger pastores e oficiais da Igreja”.

Conforme descrito no boletim, os membros da I. P. Gávea foram convocados pelo Conselho para eleição de pastor, presbíteros e diácono. Prepare-se espiritualmente, ore, jejue e participe da Assembleia Extraordinária no dia 02 de setembro.



Share
LEVANTE-SE!

3 de agosto de 2018

Chegamos em agosto e um dos assuntos mais comentados pela mídia foram as quedas de Neymar Jr.. Com uma campanha publicitária bem pensada, o jogador tentou se justificar e pedir o apoio e compreensão do público. Mas é preciso aprender um princípio bem simples para superar as quedas, sejam de popularidade ou produtividade. O princípio bíblico é, levanta!

Quando olhamos para a história de homens e mulheres na Bíblia que enfrentaram momentos difíceis encontramos este mesmo princípio.

José foi vendido pelos irmãos, dado como morto pelo seu pai, colocado em um serviço, ele lutou, trabalhou e venceu. Mas a vida tem seus momentos difíceis e José foi acusado injustamente pela mulher de seu patrão. Foi preso e mesmo injustiçado não se entregou a depressão e auto-flagelação. José não ficou chorando pelos cantos de uma cela fria e escura. Ele se levantou e seguiu sua jornada, a ponto de se destacar entre os presos por sua comunhão com Deus. Resultado, de presidiário a vice-faraó da nação mais poderosa da época.

Moisés foi outro grande exemplo. Educado aos pés da nobreza, quando aflito por ver os hebreus em situação de opressão, ele mesmo tentou fazer justiça com as próprias mãos. Matou um homem, escondeu o corpo, mas foi descoberto pela misericórdia do Senhor. Moisés não ficou sentado lamentando seu pecado, porém certo do perdão de Deus partiu para terra prometida e liderou seu povo por mais de 40 anos. Ele se levantou e foi realizar a vontade de Deus.
Ana era uma mulher de Deus, mas sofreu por muito tempo, sendo desprezada por não ter filhos e como tal, nada podia deixar seu coração alegre. Nem o enorme amor de seu marido por ela, deixava com que a alegria inundasse seu coração. Mas, Ana não optou pela vida sem desafios, muito pelo contrario, ela buscou o Senhor com um pedido que somente o Senhor poderia responder. O resultado foi uma maternidade abençoada e que não ficou em um único filho, mas Deus lhe deu outros tantos, para que sua alegria fosse completa.

Finalmente, Pedro, o apóstolo de Jesus Cristo. Foi chamado por Cristo, seguiu o Senhor Jesus por todo o seu ministério, viu milagres e presenciou as maiores manifestações do poder de Deus. Foi avisado que iria trair a Cristo, mas continuou seu caminho até que um dia, não resistiu a pressão e negou a Cristo 3 vezes. Pedro não ficou recluso, cabisbaixo, sem saber o que fazer, muito pelo contrario. Pedro se levantou, pediu perdão depois da ressurreição de Cristo e seguiu sendo um grande instrumento de Deus para abençoar outras pessoas.

Problemas são comuns em nossa vida, alguns são maiores outros menores. Mas não devemos ficar aborrecidos e desanimados com as dificuldades. Levante-se! Ore, confie e caminhe com fé em Jesus Cristo!

Que Deus nos abençoe.
Rev. Leonardo Sahium



Share
O RESGATE DA TERNURA

27 de julho de 2018

Ao todo, mais de mil pessoas estão na recepção do hotel. Existe uma fila para credenciamento, uma fila para verificação de inscrição e uma última fila para o check in do hotel. Assim começou a reunião ordinária do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil.

Uma coisa chamou minha atenção, a ternura! Sim, fiquei observando as pessoas, na imensa maioria, pastores e presbíteros, calmos, nas filas, com as malas nas mãos, conversando, com bom humor, enquanto caminhávamos lentamente à medida que a fila avançava. Que liturgia de vida, que celebração!

Foi interessante observar os gestos de carinho, atenção e humildade. Pessoas se ajudando, abrindo caminho com agilidade, carregando as malas uns dos outros. Neste momento me lembrei do texto de Colossenses 3.12 “revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade”.

Quando a Bíblia fala destes “ternos afetos de misericórdia”, ela estabelece um novo padrão de comportamento para cada cristão. No livro de Teologia Sistemática do Rev. Oadi Salum, ele lembra seus leitores que a graça de Deus produz em nós uma “união transformadora”, e afirma: “Mediante a união com Cristo, seus eleitos são transformados na semelhança de Cristo. Passam a viver segundo o caráter do seu Senhor, sofrem com ele, carregam a cruz por amor a ele: nascem em Cristo, morrem por Cristo, ressuscitam em Cristo para uma nova vida: ‘Porque, se fomos unidos com Ele na semelhança de Sua morte, certamente o seremos também na semelhança da sua ressurreição’ ”(Rm. 6.5).

Esta transformação deve ser percebida nas atitudes comuns do dia a dia. A vida cristã autêntica é cheia de ternos afetos de misericórdia, bondade e mansidão!

Como resgatar a ternura em um mundo que insiste em nos tornar brutos? Olhe para Cristo! Veja nos evangelhos os seus gestos de amor para com o próximo. Perceba o quanto Jesus era terno em suas palavras e gestos. Ele observava a dor do outro e chorava com todo seu ser em plena compaixão. Mas não era uma vida triste, era uma vida cheia de esperança e paz. Jesus sempre transformou a vida das pessoas com sua presença.

Somos cristãos, portanto, precisamos nos perguntar sempre: “eu estou me tornando uma pessoa mais terna? Mais leve? Mais simpática e agradável? Tenho transmitido um testemunho de uma pessoa que está a cada dia mais parecida com o seu Senhor e Salvador?”

A simples reflexão sobre estas perguntas acima, demonstrarão que você está no caminho certo para ser uma pessoa mais terna e feliz.

Que Deus nos abençoe.
Rev. Leonardo Sahium



Share
A VITORIA QUE VENCE (1 JO 5:4 )

22 de julho de 2018

Final de Copa, que evento tremendo
Que deixa lembranças, a alma doendo
De tantos tentando a vitória em vão!
Singela e tão única motivação!

Jogos corridos, o tempo é algoz;
Hinos cantados a uma só voz.
Esperança pulsante em prazer fugaz,
Morta no apito de um juiz audaz.

Que tanto “frisson” que nos faz esquecer
Que há outro “jogo” que se há de vencer,
No qual o outro time, sagaz adversário,
Não joga tão limpo, o espírito é contrario!

Distorcem as regras, desprezam a justiça.
Aos maus chamam bons, cobiça os atiça.
Um mundo em trevas no qual o cristão
Por Deus foi chamado, santa vocação!

De viver no mundo como sal e luz,
De amar ao próximo, de levar sua cruz,
De viver pra Cristo e sobre ele lançar
Toda ansiedade, angustias sem par.

Tendo a fé ardente, que é dom de Deus,
A fé que ao mundo vencendo, os seus
Declaram perante a toda a nação
Que só em Jesus é que há salvação.

Amando a Lei, de Deus os mandamentos
Seguindo o jogo, boas obras seus tentos
Noventa minutos sem prorrogação
Jogados aguardando santa redenção.

Rev. Antonio Alvim Dusi Filho



Share
OS CAMPEÕES DO MUNDO

12 de julho de 2018

Para ser campeão do mundo é necessário preparo físico, equilíbrio emocional, comprometimento com a equipe, concentração, confiança, superação e muito desejo de atingir o objetivo. Diante destas exigências, dois times chegaram ao topo na última semana: os 13 Javalis e os 90 mergulhadores. É claro que não pode ficar de fora a multidão com mais de 1000 voluntários contribuindo com o sucesso das equipes.

No dia 23 de junho, na Tailândia, 12 adolescentes de um time de futebol e o técnico foram passear de bicicleta e por causa de uma tempestade se protegeram na caverna Tham Luang. O problema é que a água subiu muito e deixou o grupo preso. Eles permaneceram isolados e sem comida por 9 dias até que o outro time entrou em campo, os mergulhadores ingleses. Eles encontraram o grupo exausto a 4km da entrada da caverna e a 1km de profundidade.

O resgate começou no último domingo e terminou na terça-feira com todos salvos. Uma operação de alto risco, pois em alguns trechos debaixo d´água o túnel tinha apenas 60cm de altura. Infelizmente, no dia 05 de julho, o mergulhador da marinha tailandesa, Saman Kunan, levou suprimento alimentar para o grupo e morreu ao ficar sem oxigênio no retorno.

As torcidas nesta Copa do Mundo ficaram divididas. As emissoras de todo o mundo cobriram os dois eventos. Hora as pessoas torciam para as suas seleções na Rússia, hora todas as nações se uniam na torcida pelos 13 Javalis e os incansáveis mergulhadores na Tailândia. De um lado um dos entretenimentos mais elaborados e caros da terra e do outro, o drama real de viver em um mundo que transforma um simples passeio numa tragédia tão próxima da fatalidade.

Estes acontecimentos podem produzir algumas reflexões importantes. É claro que se divertir faz bem, no entanto, para muitos a vida tem se tornado um grande parque de diversão. O investimento dos recursos financeiros, do tempo e das emoções demonstra o risco de ter o coração comandado pelo que é supérfluo. É impressionante o quanto alguns colocam uma intensa carga emotiva em coisas irrelevantes e, por outro lado, ignoram assuntos que deveriam produzir compaixão, intercessão e ação. Os evangelhos revelam o quanto Cristo envolveu com aquilo que era essencial e prioritário.

Outro destaque é o altruísmo dos mergulhadores. Eles se arriscaram para salvar os que estavam perdidos e isso custou a vida de um deles. A essência da fé cristã está pautada na decisão do Pai em enviar o seu Filho para resgatar aqueles que estavam perdidos e sem esperança. Esta missão envolvia, obrigatoriamente, a morte do Salvador: “Ele vos deu a vida quando estáveis mortos pelos vossos delitos e pecados” Ef 2.1.

Por último, a vitória das vitórias está reservada àqueles que têm os seus corações lavados pelo sangue de Jesus. “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou” Rm 8.37. Uma seleção preparada pode vencer a Copa do Mundo, mergulhadores experientes podem resgatar adolescentes perdidos, mas a vitória sobre a morte, somente através da obra de Cristo. “Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como também eu venci e me sentei com meu Pai no seu trono” Ap 3.21.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena



Share
O RETROCESSO DO AVANÇO

28 de junho de 2018

Vários fatores foram responsáveis pelas inúmeras transformações sociais nas últimas décadas. A humanidade foi beneficiada não apenas com o aumento da expectativa de vida, mas também com uma serie de recursos para manter a qualidade física. Os ambientes públicos como academias, restaurantes e igrejas comprovam essa transformação social. Paradoxalmente, a depressão, a ansiedade e as preocupações se tornaram um tormento universal. Parece que as curas para os males físicos evoluíram na mesma proporção que as feridas da alma. O mercado farmacêutico nunca faturou tanto com antidepressivos e ansiolíticos.

Ao observar a espiritualidade no Ocidente, o que se percebe é um descaso completo na relação com o divino. As pessoas estão centradas em si mesmas e convictas de que todo o sucesso depende, exclusivamente, do esforço e da dedicação pessoal. A hostilidade a tudo o que se refere a Deus estampa a ignorância e o desprezo de uma geração para com o criador e sustentador de todas as coisas.

Estas observações demonstram que à medida que Deus se torna desinteressante para a humanidade, as consequências são inevitáveis. Muitas perturbações internas decorrem da ausência de sentido para permanecer vivo. O rei Salomão diz em Eclesiastes que é como correr atrás do vento.

A produção intelectual, o progresso econômico, o desenvolvimento da medicina, as opções de entretenimentos e o avanço tecnológico não são capazes de corresponder aos anseios mais profundos da humanidade. Toda essa estrutura expressa a tentativa de fazer a tão fugaz existência valer à pena. Com o discurso de tornar o mundo melhor para as próximas gerações, os homens destroem descontroladamente o planeta terra.

Acerca desta situação, Blaise Pascal escreveu o seguinte: o homem vive uma busca inútil, pois nada encontra que o possa ajudar. Apenas consegue enxergar um abismo infinito que só pode ser preenchido pelo Único que é infinito e imutável. Em outras palavras, este abismo só pode ser preenchido por Deus. Nenhum benefício produzido pelas mãos e pelos cérebros dos homens pode ocupar o lugar que pertence a Deus em seus corações.

A sofisticação do século XXI não foi capaz de aplacar as mazelas da alma humana. Se o avanço nas diversas áreas da vida é utilizado para aumentar a distância entre o homem e Deus, então, o diagnóstico do retrocesso é inevitável. As agitações externas se esforçam para abafar o grito desesperador de uma alma que não encontra sossego e paz.

Jesus disse: “eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10.10). Ele é o maravilhoso conselheiro e Príncipe da Paz (Is 9.6). Ele é o único que dá a vida pelos seus seguidores (Jo 10.11). Ele é o Deus encarnado que morreu e ressuscitou para garantir aos seus discípulos a vida eterna 8At 1.6-11. Ele é o Deus sustentador que diz: Não andeis ansiosos por coisa alguma, pois eu cuido de vocês! (Mt 6.25-34).
O avanço verdadeiro ocorre quando o homem se aproxima do seu Criador e Redentor. Todos os benefícios desta era devem ser utilizados para a glória do Senhor. Ame a Deus sobre tudo e, naturalmente, as demais coisas ocuparam os lugares adequados.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena



Share
VOCÊ, SIM, VOCÊ!

22 de junho de 2018

Você foi um poderoso instrumento de Deus e nem percebeu! Uma das coisas mais belas no cristianismo está no fato de sermos uma grande bênção e não percebermos isto em nosso dia a dia.

Jesus nos ensina nos evangelhos que os cristãos no dia da volta de Cristo irão se surpreender quando Deus lhes disser que eles realizaram a missão. O motivo desta surpresa está no fato de que a Igreja, como corpo saudável, caminha, trabalha e realiza de maneira natural. A obra é extraordinária, mas você, cristão, não percebe que você é um instrumento que Deus tem usado para abençoar milhares de vidas. (Mt 25.34-40)

Mas, eu gostaria de falar com você, sim, você!

No último domingo nossa Igreja organizou mais uma Igreja filha, ou seja, nasceu a Igreja Presbiteriana Raízes. Ao organizar esta nova igreja saiba que você foi parte deste processo.

A Igreja da Gávea investiu em um pastor-plantador, mesmo sem ele estar trabalhando diretamente na Gávea. Isso é visão missionária! Você, querido membro desta Igreja, orou, apoiou e com generosidade e fidelidade investiu recursos financeiros nesta obra. A Igreja da Gávea pode, então, convidar outras igrejas para somar na parceria. Viajamos pelo Brasil e EUA para buscar parceiros. Isto só foi possível, porque você estava orando e apoiando. O sonho se tornou realidade. Agora temos mais uma igreja filha, já são 16 igrejas plantadas pela Gávea.

Quando uma igreja nasce, milhares de pessoas poderão ouvir o evangelho. Milhares de vidas serão tocadas pela graça de Deus para a glória de Deus. Lares serão transformados através da pregação do evangelho de Deus. Homens e mulheres que vivem sem esperança poderão agora ouvir a palavra de Jesus Cristo que traz paz, alegria, fé e esperança aos corações! Adolescentes e Jovens que enfrentam sérios problemas em suas casas, escola ou trabalho poderão ouvir o evangelho libertador e poderoso de Cristo. A criança que vive em um lar cheio de drogas e violência doméstica poderá ver seu lar se transformar em um ambiente de paz e amor, assim que o evangelho de Jesus Cristo alcançar os corações de sua família. Vidas reconciliadas com Deus, pela graça de Deus e para glória de Deus! Qual o instrumento que Deus usará? A Igreja!

Mas a Igreja somos todos nós, pessoas como você! Você, sim, você! Deus está usando sua vida, para transformar outras vidas através da plantação de novas igrejas, por isso, celebre, louve, ore, contribua, seja sempre uma bênção!

Que Deus nos abençoe na plantação de novas igrejas!

Rev. Leonardo Sahium



Share
A igreja é uma bênção!

15 de junho de 2018

“Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam o pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.” (At 2:46-47)

Irmãos que benção é a igreja! Desfrutar de um ambiente onde compartilhamos da mesma fé, apesar de sermos tão diferentes uns dos outros. Onde dividimos os fardos da vida. Onde aprendemos sobre nós mesmos e sobre o caráter do nosso Deus. É maravilhoso!

Como na igreja primitiva, relatada no texto de Lucas acima, a vida na igreja cristã é uma vida de perseverança. E não é uma perseverança solitária. Podemos olhar para o lado, em todas as direções na realidade, e constatarmos que estamos ombreados por irmãos e irmãs que juntamente conosco perseveram. Atravessamos juntos os mares da vida, recebendo alento no momento da dor, compartilhando alegria no momento da vitória, desfrutando da companhia no momento da solidão, alcançando ajuda na hora da carestia. A igreja de Cristo é uma benção em nossas vidas e na de nossas famílias!

A igreja também é local que promove resistência: juntos resistimos à pressão de um mundo sem Deus, levando adiante os valores e a ética de Cristo. Juntos levantamos uma só voz dizendo que a solução para os problemas da sociedade é o Amor. Amor sacrificial, capaz de levar o nosso mestre a uma morte maldita, morte de cruz, morte vicária. Na igreja somos alimentados pela vida que provém da morte e ressurreição do nosso Senhor.

Igreja também é um local para vivermos a simplicidade das coisas boas: um bom papo ao redor da mesa, uma boa refeição regada com a alegria da companhia, uma boa brincadeira desprovida de malícia e de maldade. Igreja é lugar de simpatia que contagia os outros.

Irmãos, precisamos valorizar a igreja cada vez mais. Precisamos celebrar nossa comunhão cada vez mais. Precisamos fazer da igreja um local onde nossos filhos e nossas famílias amem estar. Precisamos ter cuidado com a crítica feroz feita nos almoços familiares aos domingos. Elas destroem a imagem da igreja.

Valorizemos a igreja!

Rev. Antonio Alvim Dusi Filho



Share
O DESAFIO DA SAF COM AS PRÓXIMAS GERAÇÕES

9 de junho de 2018

O ser humano é desafiado a viver em comunidade. A família, os vizinhos, a escola, os clubes e as diversas instituições demonstram o quanto a interação social é importante para a saúde o bem-estar do indivíduo. Todo núcleo de convivência tem as suas regras para que o funcionamento encontre êxito. Por exemplo, um clube é restrito aos sócios, uma sociedade discreta possui critérios para selecionar os participantes e uma escola não pode ultrapassar o propósito para o qual foi estabelecida. Tudo isso é estabelecido através de estatutos.

A igreja é uma comunidade diferenciada em vários aspectos. Assim como o Senhor Jesus Cristo, ela é instruída a acolher homens, mulheres, adultos, jovens e crianças independente das diferenças físicas, sociais e culturais. A saúde de uma igreja se manifesta na sua capacidade de amar as pessoas assim como Jesus, o dono da igreja, ama.
A igreja foi separada por Deus para fazer diferença num mundo sombrio e desesperador. Todos os membros, departamentos e ministérios são comissionados para resplandecer a poderosa luz de Cristo tanto na geração presente como nas futuras. Esta foi a missão de milhares de cristãos ao longo da história.

A Bíblia nos mostra que a piedade e o trabalho das mulheres sempre foram fundamentais no anúncio do amor de Deus ao mundo. Nesta obra, mulheres como Rute e Noemi (Rt 1-4), Maria e Marta (Lc 10.38-42), Eunice e Lóide (2 Tm 1.5) e tantas outras se destacaram pelo zelo com que tratavam Deus e o seu Reino. Mulheres engajadas na oração, dedicadas no serviço e comprometidas com a evangelização.

Os exemplos de mulheres piedosas saltam da Bíblia, transcorrem a história e chega até os dias atuais por causa do compromisso que muitas tiveram de discipular as futuras gerações. É importante que as irmãs maduras espiritualmente instruam as mais novas, conforme escreveu Paulo a Tito: “Semelhantemente, ensine as mulheres mais velhas a serem reverentes na sua maneira de viver, a não serem caluniadoras nem escravizadas a muito vinho, mas a serem capazes de ensinar o que é bom. Assim, poderão orientar as mulheres mais jovens a amarem seus maridos e seus filhos, a serem prudentes e puras, a estarem ocupadas em casa, e a serem bondosas e sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja difamada (Tt 2.3-5).

Este também é o trabalho que a Sociedade Auxiliadora Feminina da Igreja Presbiteriana da Gávea desenvolve há 51 anos. Um grupo de mulheres que experimenta a vida abundante oferecida por Cristo e se dispõe a servi-lo e ama-lo alegremente. Elas descansam no Senhor, confiam no seu cuidado e experimentam da paz que o mundo não pode oferecer. Elas buscam a centralidade de Deus e dependem completamente dEle. Encontraram o sentido da vida e correm para os braços do Pai em tempos de aflição. Que Deus abençoe cada uma das irmãs e as capacite no desafio de transmitir este compromisso de fé às futuras gerações de mulheres. Que esta obra continue frutífera e abençoadora.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena



Share