Em 9 de agosto de 2017 | Pastorais

Guilherme Farel (1489-1565) foi um dos fundadores da Igreja Reformada na Suíça. Ele se tornou pastor em Genebra no ano de 1532 e o impacto do seu ministério foi capaz de produzir um estado teocrático. As transformações sociais ocorridas em Genebra decorriam das experiências que as pessoas tinham com a exposição bíblica. À medida que a mensagem do evangelho era anunciada e as pessoas se curvavam ao senhorio de Cristo, o impacto na vida comunitária era evidenciado.

O reformador João Calvino se deslocava de Ferrara para Estrasburgo e em decorrência de uma guerra ele teve que mudar a rota e passar por Genebra. O historiador Justo Gonzalez informa que Calvino não pretendia permanecer por muitos dias em Genebra, no entanto, alguém avisou Farel que o autor das Institutas estava na cidade. Eles se encontraram e através de uma série de argumentos, Farel tentou persuadir Calvino a ajuda-lo com o progresso do evangelho em Genebra. Calvino o escutou atentamente, mas disse que precisava concluir alguns estudos e por isso não tinha condições de ajuda-lo nos trabalhos em Genebra.

O historiador Justo Gonzalez também informa que Farel após esgotar toda a sua argumentação para a permanência de Calvino, ele apela ao Senhor de ambos e com voz estridente diz para o jovem teólogo: “Deus amaldiçoe teu descanso e a tranquilidade que buscas para estudar, se diante de uma necessidade tão grande te retiras e te negas a prestar socorro e ajuda”. Diante desta imprecação, Calvino escreve o seguinte: “essas palavras me espantaram e me quebrantaram e desisti da viagem que tinha pretendido”. Esta circunstância inaugura o trabalho de João Calvino como reformador em Genebra.

Calvino, aproximadamente, quinze anos mais jovem do que Farel, inicia como colaborador nos trabalhos da igreja em Genebra, no entanto, sua habilidade teológica, seu conhecimento e zelo pela Reforma contribuem para que assuma a liderança. À medida que os princípios reformados se instalavam através da liderança destes pastores, Calvino insistia que os impenitentes deveriam ser excluídos da igreja. Farel, por outro lado, acolheu uma postura menos rigorosa e emparelhada com os interesses da burguesia da cidade. Calvino segue para Estrasburgo e Farel permanece em Genebra.

Apesar de algumas perspectivas diferentes, principalmente sobre a eucaristia, Farel e Calvino foram instrumentos de Deus para testemunhar que a fé em Cristo transforma completamente uma sociedade. Por isso a importância de anunciar o evangelho, plantar igrejas e expor a Palavra, afinal, este é o caminho para uma sociedade justa.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena

Compartilhar