Pastorais
O AMANHÃ QUE NUNCA CHEGA

10 de outubro de 2018

A procrastinação é a arte de fazer inúmeras coisas para evitar tarefas importantes e complexas. De acordo com a professora da UFJF, Fabiane Rossi, a falta de interesse na tarefa ou até mesmo as dificuldades na organização das atividades são alguns motivos para a procrastinação. O pesquisador e psicólogo Tim Pychlyl, da Universidade de Carleton no Canadá, estuda esse fenômeno há mais de 20 anos, e diz que a procrastinação é um dos maiores problemas educacionais na atualidade.

De acordo com Caroline Webb, esse problema acontece porque o cérebro foi programado para a procrastinação. Em geral, evitamos tarefas valiosas para o futuro, mas que exigem esforço no presente. Isso porque é mais fácil para o cérebro processar problemas concretos e imediatos como bem mais tangíveis do que os benefícios desconhecidos e incertos do futuro. Assim, a mente avalia como prioridade o esforço para as questões de curto prazo e que se sobrepõe facilmente aos benefícios de longo prazo.

Estes pressupostos teóricos buscam explicação para a dificuldade de executar o que é prioritário. Existe uma lista de coisas importantes que nunca migram do campo da vontade para a prática. É uma mudança que está sempre agendada para um amanhã que nunca chega. A impotência de muitas pessoas para manter a regularidade nos exercícios físicos, a alimentação saudável, o aperfeiçoamento profissional, os estudos e tantos outros compromissos revelam a força da procrastinação.

Quando esse tema é transportado para a espiritualidade cristã, a realidade não é diferente. A meditação nas Sagradas Escrituras e a vida de oração são disciplinas espirituais agendadas para o amanhã que nunca chega. A busca pela intimidade com o Senhor é um profundo desejo que não se concretiza. As incontáveis conexões pessoais e virtuais, os inúmeros compromissos e as redes de entretenimentos se impõem como pautas prioritárias. No entanto, uma incansável voz interior se repete dizendo: “mais um dia sem cuidar da sua relação com Deus!”.

Jesus sabia que essa luta não seria fácil, por isso ensinou: “buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” Mt 6.33. Na parábola do servo vigilante, Ele diz: “Bem-aventurados aqueles servos a quem o senhor, quando vier, os encontre vigilantes”. O desenvolvimento da espiritualidade exige atenção, disciplina, atitude e movimento. Se a busca por Deus é uma prioridade absoluta e inegociável, não pode cair no jogo do amanhã que nunca chega.

A procrastinação atrofia a vida de maneira geral, mas especialmente, a espiritualidade. Os discípulos de Cristo são capacitados pelo Espírito Santo para vencer este mal. Medite na Palavra e ore diariamente. Não permita que os afazeres secundários impeça a sua comunhão com Deus. E lembre-se, a mudança precisa começar hoje!

Rev. Alexandre Rodrigues Sena

Share