Pastorais
O DESAFIO DA SAF COM AS PRÓXIMAS GERAÇÕES

9 de junho de 2018

O ser humano é desafiado a viver em comunidade. A família, os vizinhos, a escola, os clubes e as diversas instituições demonstram o quanto a interação social é importante para a saúde o bem-estar do indivíduo. Todo núcleo de convivência tem as suas regras para que o funcionamento encontre êxito. Por exemplo, um clube é restrito aos sócios, uma sociedade discreta possui critérios para selecionar os participantes e uma escola não pode ultrapassar o propósito para o qual foi estabelecida. Tudo isso é estabelecido através de estatutos.

A igreja é uma comunidade diferenciada em vários aspectos. Assim como o Senhor Jesus Cristo, ela é instruída a acolher homens, mulheres, adultos, jovens e crianças independente das diferenças físicas, sociais e culturais. A saúde de uma igreja se manifesta na sua capacidade de amar as pessoas assim como Jesus, o dono da igreja, ama.
A igreja foi separada por Deus para fazer diferença num mundo sombrio e desesperador. Todos os membros, departamentos e ministérios são comissionados para resplandecer a poderosa luz de Cristo tanto na geração presente como nas futuras. Esta foi a missão de milhares de cristãos ao longo da história.

A Bíblia nos mostra que a piedade e o trabalho das mulheres sempre foram fundamentais no anúncio do amor de Deus ao mundo. Nesta obra, mulheres como Rute e Noemi (Rt 1-4), Maria e Marta (Lc 10.38-42), Eunice e Lóide (2 Tm 1.5) e tantas outras se destacaram pelo zelo com que tratavam Deus e o seu Reino. Mulheres engajadas na oração, dedicadas no serviço e comprometidas com a evangelização.

Os exemplos de mulheres piedosas saltam da Bíblia, transcorrem a história e chega até os dias atuais por causa do compromisso que muitas tiveram de discipular as futuras gerações. É importante que as irmãs maduras espiritualmente instruam as mais novas, conforme escreveu Paulo a Tito: “Semelhantemente, ensine as mulheres mais velhas a serem reverentes na sua maneira de viver, a não serem caluniadoras nem escravizadas a muito vinho, mas a serem capazes de ensinar o que é bom. Assim, poderão orientar as mulheres mais jovens a amarem seus maridos e seus filhos, a serem prudentes e puras, a estarem ocupadas em casa, e a serem bondosas e sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja difamada (Tt 2.3-5).

Este também é o trabalho que a Sociedade Auxiliadora Feminina da Igreja Presbiteriana da Gávea desenvolve há 51 anos. Um grupo de mulheres que experimenta a vida abundante oferecida por Cristo e se dispõe a servi-lo e ama-lo alegremente. Elas descansam no Senhor, confiam no seu cuidado e experimentam da paz que o mundo não pode oferecer. Elas buscam a centralidade de Deus e dependem completamente dEle. Encontraram o sentido da vida e correm para os braços do Pai em tempos de aflição. Que Deus abençoe cada uma das irmãs e as capacite no desafio de transmitir este compromisso de fé às futuras gerações de mulheres. Que esta obra continue frutífera e abençoadora.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena

Share