Pastorais
O JARDINEIRO QUE ELIMINA O MAL PELA RAIZ

28 de junho de 2019

A comodidade, segurança e praticidade dos apartamentos eliminam algumas preocupações que são comuns àqueles que vivem em casas. O jardim, por exemplo, precisa de uma manutenção rotineira que é, geralmente, terceirizada aos profissionais da área. A insistência da terra em produzir ervas daninhas que destroem toda beleza das gramas, plantas e flores exige uma limpeza cuidadosa e sistemática destas áreas. Uma das formas de prolongar o charme dos jardins é eliminar o mato pela raiz.

A habilidade para arrancar as raízes mais profundas produz a saúde e a exuberância das paisagens. Não adianta apenas uma poda superficial para disfarçar ou esconder a erva daninha. Aliás, fazendo assim, a tendência é a raiz ficar mais forte e resistente. É necessário um tratamento radical e certeiro para extirpa-la e assim, manter o espaço limpo. O trabalho é mais complexo e demorado, no entanto, a eficiência é garantida.

O coração humano é um jardim tomado por ervas daninhas que precisam ser eliminadas diariamente. O profeta Jeremias escreve: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (Jr 17.9). Ao protestar contra a espiritualidade hipócrita, Jesus disse: “Respondeu-lhes: Bem profetizou Isaías a respeito de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim.” Mc 7.6. A alma é um terreno fértil para produzir elementos que impendem o progresso espiritual e a vida de verdadeira adoração ao Senhor. Por isso, é importante estar atento quanto aos inúmeros males que podem dificultar o relacionamento com Deus.

A Bíblia também fala de algumas ervas daninhas que produzem raízes profundas e maléficas no coração. O apóstolo Paulo escreve para Timóteo quanto ao perigo de amar exageradamente ao dinheiro: “Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores.” I Tm 6.10. Esta raiz pode trazer outros males e produzir o adoecimento da alma. O autor da epístola aos Hebreus expõe acerca da raiz de amargura como fonte de perturbação interna: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor, atentando, diligentemente, por que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados;” Hb 12.14,15.

A Palavra de Deus ensina que o ser humano é incapaz de arrancar estas ervas maléficas pela raiz. É necessário o auxílio do Jardineiro, ou seja, do Espírito Santo. Ele ajuda os crentes a limpar o jardim de Deus que é o coração redimido. Ele guia a igreja a toda verdade (Jo 15.13). Ele concede poder para eliminar o pecado e testemunhar o evangelho: “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra” (At 1.8). Ele produz no jardim o fruto que glorifica a Cristo: “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio.” (Gl 5.22, 23a). Por isso, Paulo diz aos efésios: “…enchei-vos do Espírito”. A limpeza do jardim de Deus depende do quanto o crente busca a sua presença em oração e meditação na Palavra. Este é o caminho para receber o constante auxílio do Jardineiro que elimina o mal pela raiz.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena

Share