Pastorais
O RETROCESSO DO AVANÇO

28 de junho de 2018

Vários fatores foram responsáveis pelas inúmeras transformações sociais nas últimas décadas. A humanidade foi beneficiada não apenas com o aumento da expectativa de vida, mas também com uma serie de recursos para manter a qualidade física. Os ambientes públicos como academias, restaurantes e igrejas comprovam essa transformação social. Paradoxalmente, a depressão, a ansiedade e as preocupações se tornaram um tormento universal. Parece que as curas para os males físicos evoluíram na mesma proporção que as feridas da alma. O mercado farmacêutico nunca faturou tanto com antidepressivos e ansiolíticos.

Ao observar a espiritualidade no Ocidente, o que se percebe é um descaso completo na relação com o divino. As pessoas estão centradas em si mesmas e convictas de que todo o sucesso depende, exclusivamente, do esforço e da dedicação pessoal. A hostilidade a tudo o que se refere a Deus estampa a ignorância e o desprezo de uma geração para com o criador e sustentador de todas as coisas.

Estas observações demonstram que à medida que Deus se torna desinteressante para a humanidade, as consequências são inevitáveis. Muitas perturbações internas decorrem da ausência de sentido para permanecer vivo. O rei Salomão diz em Eclesiastes que é como correr atrás do vento.

A produção intelectual, o progresso econômico, o desenvolvimento da medicina, as opções de entretenimentos e o avanço tecnológico não são capazes de corresponder aos anseios mais profundos da humanidade. Toda essa estrutura expressa a tentativa de fazer a tão fugaz existência valer à pena. Com o discurso de tornar o mundo melhor para as próximas gerações, os homens destroem descontroladamente o planeta terra.

Acerca desta situação, Blaise Pascal escreveu o seguinte: o homem vive uma busca inútil, pois nada encontra que o possa ajudar. Apenas consegue enxergar um abismo infinito que só pode ser preenchido pelo Único que é infinito e imutável. Em outras palavras, este abismo só pode ser preenchido por Deus. Nenhum benefício produzido pelas mãos e pelos cérebros dos homens pode ocupar o lugar que pertence a Deus em seus corações.

A sofisticação do século XXI não foi capaz de aplacar as mazelas da alma humana. Se o avanço nas diversas áreas da vida é utilizado para aumentar a distância entre o homem e Deus, então, o diagnóstico do retrocesso é inevitável. As agitações externas se esforçam para abafar o grito desesperador de uma alma que não encontra sossego e paz.

Jesus disse: “eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10.10). Ele é o maravilhoso conselheiro e Príncipe da Paz (Is 9.6). Ele é o único que dá a vida pelos seus seguidores (Jo 10.11). Ele é o Deus encarnado que morreu e ressuscitou para garantir aos seus discípulos a vida eterna 8At 1.6-11. Ele é o Deus sustentador que diz: Não andeis ansiosos por coisa alguma, pois eu cuido de vocês! (Mt 6.25-34).
O avanço verdadeiro ocorre quando o homem se aproxima do seu Criador e Redentor. Todos os benefícios desta era devem ser utilizados para a glória do Senhor. Ame a Deus sobre tudo e, naturalmente, as demais coisas ocuparam os lugares adequados.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena

Share