Pastorais
OS ATRIBUTOS DA IGREJA VERDADEIRA

13 de fevereiro de 2020

Temos trabalhado sobre algumas características da igreja. Já falamos sobre as marcas da Igreja verdadeira, bem como os seus atributos. Nessa pastoral trataremos dos últimos três atributos da igreja verdadeira: Apostolicidade, Indefectibilidade e Infalibilidade. Já falamos acerca da Unidade, Santidade e Catolicidade na pastoral do dia 26.01.2020.

O primeiro atributo é a Apostolicidade. Diferentemente do entendimento da igreja Católica Romana, percebeu-se que não é a sucessão de lugares ou mesmo de pessoas que garantem a pureza de doutrina da igreja. Na verdade, o que torna uma igreja verdadeiramente apostólica é a sucessão de doutrina, ou seja, uma igreja que preserva aquilo que os apóstolos e profetas falaram acerca do Senhor Jesus, como Efésios 2:20-22 nos orienta: “edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito”. Se uma igreja deixa-se levar por outra doutrina que não a Palavra de Deus, ela perde sua característica de igreja verdadeira do Senhor. Infelizmente, isso não é difícil de se perceber, quando observamos denominações “anexando” relatos, livros, ideologias à Palavra do Senhor, ou mesmo pregações que são tudo (autoajuda, coach, terapias…), menos exposições bíblicas. Por isso, que esse atributo é tão importante. Tem muito em comum com aquilo que os reformadores chamaram de Sola Scriptura, ou seja, somente as Escrituras. Como uma resposta a movimentos que estavam deixando de lado a Palavra do Senhor, nasce o Sola Scriptura com o objetivo dessa preservação da sã doutrina, e retorno às Sagradas Escrituras, de forma pura e plena.

Finalmente, encerrando essa série de atributos da igreja, há também os atributos da indefectibilidade e infalibilidade. Jesus prometeu à igreja que os portões do inferno não prevalecerão contra ela e que ele a preservará até o fim do mundo (Mt 16.18;28.20; Ef 4.11-13; 1 Tm 3.15). A promessa de Jesus é, de fato, uma garantia de que sempre haverá um ajuntamento de crentes sobre a terra, mas não implica, necessariamente, que uma igreja, em um determinado país, continuará sempre a existir. Sabemos de relatos de igrejas perseguidas e que deixaram de existir em determinadas localidades. Por exemplo, certas igrejas em certos países na Ásia Menor, desapareceram, em que pese terem sido plantadas por homens como o Ap. Paulo, Timóteo, Ap. Pedro… Mesmo assim, a igreja do Senhor, em toda a terra, continuará de pé, orando pelos irmãos da igreja perseguida, assim como fazemos hoje. Herman Bavinck escreve, acerca desses dois últimos atributos: “De fato, existe uma infalibilidade da igreja que também é alegremente reconhecida pelos protestantes, mas essa infalibilidade pertence à igreja como a reunião de todos os crentes e consiste no fato de que Cristo, como rei de sua igreja, deseja que, sobre a terra, sempre exista um ajuntamento de crentes, por menos e mais inexpressivo que seja, que confessa seu nome e encontra nele toda a sua salvação”.

Você confessa o nome de Cristo como seu Senhor e Salvador? Tem depositado Nele toda a sua confiança, segurança, esperança e salvação? Somos esse ajuntamento de crentes. Somos o próprio corpo de Cristo nesse lugar. Nosso dever é prezar sempre pela pureza e santidade da igreja, e isso passa, principalmente, por aquilo que temos feito em nossas vidas, uma vez que nós somos a igreja. Se temos dado a devida glória ao Senhor, ou se a nós mesmos. Se temos tido uma vida de santidade em Sua presença, ou se vivemos apenas de aparência no domingo. Faça essa análise, através da própria Palavra de Deus e confesse seus pecados ao Pai.

Que Deus te abençoe e guarde!
Rev. Guilherme Jayme Travassos Esperança

Share