Em 8 de setembro de 2017 | Pastorais

“Ensina-nos, Senhor, a contar os nossos dias” Salmo 90.12

A palavra do salmista nunca foi tão atual. Vivemos hoje sob a pressão do tempo. Não são poucos os dias em que não conseguimos completar as tarefas de um dia. Em 1870, nasceu em Recife um menino simples, seu nome era Martinho de Oliveira. Cresceu longe do evangelho até o dia, em que ainda jovem, foi convidado por um amigo para conhecer a Igreja Presbiteriana. Foi, amou, voltou e se batizou com o coração rendido o senhorio de Jesus Cristo.

Aos 26 anos, foi ordenado pastor presbiteriano, depois de estudar aos pés do grande médico e pastor presbiteriano Rev. George Butler que, entre outros frutos ministeriais, tem as famílias Gueiros e Leitão. Famílias que a Igreja Presbiteriana da Gávea tem o privilégio de ter descendentes como membros.

O Rev. Martinho de Oliveira teve um ministério curto, pois, faleceu de uma enfermidade fulminante, aos 33 anos. Mas este homem de Deus foi um verdadeiro reformador no Brasil. Em seus curtíssimos anos como pastor se dedicou à formação de novos pastores, o que na época era a grande carência brasileira, principalmente no nordeste brasileiro. Sob a liderança do jovem Rev. Martinho foi criado o Seminário Presbiteriano do Norte, e no momento que escrevo esta pastoral, estou voando para pregar no aniversário de 118 anos deste importante e histórico Seminário.

Milhares de pastores foram instruídos nos caminhos da Palavra de Deus, e outros tantos são e ainda serão, como fruto da visão e trabalho deste homem de Deus que viveu tão pouco, teve pouco tempo, mas produziu a milhares por um.
Quando investimos nosso tempo, dons, talentos e recursos na Obra do Senhor, produzimos frutos eternos que atravessam tempos e épocas e glorificam a Deus.

Como dizia Fernando Pessoa: O que mata o sonhador é não viver quando sonha; o que fere o agente […] é não sonhar quando vive.

Precisamos aprender a sonhar com a missão de Deus revelada no Evangelho, onde encontramos uma sociedade repleta de amor, paz, esperança, solidariedade e devoção a Deus. Uma igreja repleta de adoração em espirito e em verdade, que realiza a missão como algo natural, como acontecia na igreja primitiva em Atos dos Apóstolos.

Rev. Martinho de Oliveira sonhou alto, percebeu que o trabalho deveria ser multiplicado, e o tempo não deveria ser desperdiçado. Seu sonho se tornou realidade e através do seu trabalho mais pessoas tiveram o privilegio de ouvir sobre o evangelho de Cristo.

Seja sábio e aproveite o tempo e as oportunidades para compartilhar do grande amor de Deus a todos em todo tempo, em todo lugar. Faça isso com seu testemunho de vida, com palavras cheias de amor, com atitudes repletas de misericórdia.

Deus nos abençoe,

Rev Leonardo Sahium

Compartilhar