Pastorais
QUANDO UMA MÃE CONVERSOU COM JESUS

12 de maio de 2019

Em Marcos 7.24-30, encontramos uma mulher se aproximando de Jesus Cristo, cheia de sofrimento, expectativa e fé. O texto nos conta que ela foi rogar pela libertação espiritual de sua filhinha, que estava possessa de um espírito maligno. Ao saber que o ministério de Jesus era repleto de poder, ela o procurou. Ela se aproximou de Cristo e rogou que Ele expelisse de sua filha o demônio. Marcos nos diz que esta mulher era grega, de origem sírio-fenícia. “Ela não tinha credenciais religiosas, culturais nem morais para se aproximar de um rabi judeu… ela era gentia pagã… era considerada de todos os modos uma pessoa impura e, portanto, não qualificada para se aproximar de qualquer judeu devoto, quem dirá um rabi. Mas ela não se importa com isso.” (Tim Keller – A Cruz do Rei, pag. 108)

O diálogo entre Jesus e esta mãe é muito interessante. “Mas Jesus lhe disse: Deixa primeiro que se fartem os filhos, porque não é bom tomar o pão dos filhos e lança-lo aos cachorrinhos” (Mc 7.27). Keller destaca neste momento, que Jesus não está insultando aquela mãe, está apenas falando por parábolas, e ela percebe isso, pois, responde da mesma forma. Diz o texto que a mãe responde: “Sim, Senhor; mas os cachorrinhos, debaixo da mesa, comem das migalhas das crianças.” (v.28)

A fé desta mãe ficou evidente e Jesus então afirma: “Por causa desta palavra, podes ir; o demônio já saiu de tua filha.” (v.29) Que palavra cheia de poder tem o Senhor Jesus, afinal, Ele não precisou ir ao encontro da menina que sofria, mesmo longe de Seus olhos, Ele cura, liberta e transforma vidas! A mãe retorna para casa e encontra sua filhinha totalmente livre da possessão demoníaca!

Tim Keller afirma: “Existem os covardes, as pessoas comuns, os heróis e os pais.” Não importa a situação o amor de mãe supera qualquer dificuldade, encara qualquer perigo, assume qualquer risco, para ver seus filhos ou filhas, desfrutando de uma vida cheia de segurança, alegria e paz.

Mas para que este projeto de vida seja algo real, uma mãe precisa manter o canal do diálogo espiritual aberto para sempre falar com Jesus Cristo através da oração, ouvindo-o pelas páginas de Sua Palavra Sagrada. É preciso ensinar os filhos o caminho em que devem andar, ter o compromisso de educá-los na Igreja, como um exemplo inequívoco de firmeza e fé, serviço e comunhão, alegria e participação na vida cristã com outras famílias da fé.
Quando esta mãe conversou com Cristo sua vida mudou radicalmente, do lar perturbado, da subserviência às forças espirituais do mal, para uma vida cheia de paz e alegria como um lar transformado pelo poder das Palavras de Jesus.

Parabéns a todas as mães de nossa amada Igreja Presbiteriana da Gávea!

Que Deus abençoe a todos!

Rev. Leonardo Sahium

Share