Em 3 de março de 2017 | Pastorais

“Mas, ainda que venhais a sofrer por causa da justiça, bem-aventurados sois.
Não vos amedronteis, portanto, com as suas ameaças, nem fiqueis alarmados;
antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós.”
(1 Pedro 3.14-15)

O apostolo Pedro escreve esta carta para os cristãos que estavam sendo perseguidos em todo império, já que Nero havia espalhado uma notícia falsa, dizendo que os cristãos haviam colocado fogo em Roma. Esta perseguição se tornou cada vez maior, e no meio deste ambiente hostil, o Espírito Santo inspirou o apóstolo Pedro para trazer uma palavra de conforto e segurança.

Hoje, em pleno Século XXI, ainda estamos debaixo de diferentes perseguições no mundo todo. Existem países que proíbem o cristianismo, perseguem e matam pastores, missionários e membros das igrejas que confessam a Jesus Cristo como Senhor e Salvador de suas almas. Em outros países, a perseguição é mais camuflada, tendo nas autoridades que dirigem as instituições governamentais, o seu elemento mais forte. Igrejas são perseguidas através dos poderes constituídos na nação. No Brasil, como na maioria dos países onde ainda existe liberdade para se pregar o evangelho, a perseguição assume uma roupagem mais camuflada, onde a “cristofobia” é muito evidente para qualquer olhar mais critico na sociedade, mas que jamais é admitida pela esmagadora maioria dos veículos de comunicação.

A história do cristianismo foi sempre assim, marcada pela desinformação promovida pelo Estado, já em seus primeiros anos com Nero, e com as perseguições de maneiras diferentes, em lugares diferentes, ao longo dos anos.

Quando nos identificamos como uma Igreja Protestante Reformada, estabelecemos um padrão de vida cristã que resgata a beleza daquilo que Pedro chamou “a razão da esperança que há em vós”. Pedro diz que o cristão tem que estar preparado para “responder todo aquele que pedir a razão de nossa esperança”. Observe que nossa fé não se esconde por detrás de um misticismo ignorante, vazio de significado e pobre de conteúdo. Devemos estar prontos para explicar que nossa fé tem razão de ser, que nosso Deus se revelou de maneira inteligível aos seus filhos e filhas. Esta é uma das mais ricas heranças de nossa fé cristã! Podemos explicar porque cremos, como cremos e porque vivemos com esta fé maravilhosa que Deus nos deu por Sua imensa graça e misericórdia.

Celebremos nossa fé sólida que emana da Palavra de Deus e traz segurança aos nossos corações. Testemunhemos nossas experiências espirituais de conformidade com a Palavra de Deus. Nosso Senhor está presente e nós podemos falar com Ele em oração, e Ele nos responde tirando de nosso coração todo medo, colocando a alegria de Sua presença em nossas vidas. Deus seja louvado!

Que Deus nos abençoe!
Rev. Leonardo Sahium

Compartilhar