Em 5 de outubro de 2017 | Pastorais

A biografia de uma pessoa revela as suas ênfases e prioridades ao longo da vida. A narrativa separa os destaques que enaltecem a singularidade da jornada. Com a história de uma igreja não é diferente, afinal, as decisões, os projetos e as execuções das atividades expõem o que realmente é importante para tal comunidade. Este artigo pinça alguns eventos que aconteceram na segunda década da IP Gávea e que expressam os valores sustentados pela igreja ao longo da sua existência.

Uma igreja que ama o ministério de música. Em 1979, ocorreu a primeira aquisição das togas para o coral da igreja. Neste mesmo período, aconteceu a organização do coral jovem, que chegou a contar com cerca de 50 pessoas. A atividade musical da IPG continua firme e pujante tanto com o coral Vozes em Louvor, como também com o coral jovem/adolescente Frutificanto, o coral infantil e os demais grupos de louvor. O envolvimento de tantos irmãos neste ministério demonstra o quanto a igreja sempre amou e valorizou a adoração ao Senhor.

Uma igreja em expansão. A partir do ano de 1977, iniciou-se a campanha para a construção do prédio de educação religiosa. Este projeto manifesta a visão de uma igreja que não se acomoda, afinal, foi vocacionada para o crescimento. Através da fidelidade dos membros com os seus dízimos e ofertas a obra foi concluída em 1981. Outras aquisições, construções e reformas continuaram acontecendo para atender às novas demandas e desafios de uma igreja avessa à estagnação.

Uma igreja com visão de Reino. Se tem algo que faz parte da genética da IPG é a sua dedicação com a proclamação do Reino de Cristo no país. A década de 80 foi marcada por inúmeras contribuições para a construção de templos, casas pastorais e outras instalações. Em 1982, a IPG contribuiu para a edificação de templos presbiterianos em Patrocínio de Muriaé e São João do Oriente. Neste mesmo ano, a igreja auxiliou na construção da casa da viúva Etel Neves Sathler, esposa do Rev. Cicero Satler. Em 1983, o auxílio foi para a construção dos templos presbiterianos em Itaitindiba, São Gonçalo e Petrópolis. Em 1984, a igreja destinou uma oferta especial para a construção do Centro Social da Igreja Presbiteriana de Cartéis, Ceará. Ainda neste ano, a IPG contribuiu para a construção do templo da Igreja Presbiteriana de Taguará, em Jacarepaguá, Rio de Janeiro. Em 1986, a igreja colaborou com a construção do templo da Igreja Presbiteriana de Bom Jesus da Lapa, Bahia. É importante destacar que em 1983, a IPG realizou campanhas para auxiliar os atingidos pelas enchentes em Santa Catarina e também contribuiu numa campanha em prol do nordeste brasileiro. Estes são apenas alguns destaques que evidenciam o amor da igreja pela propagação do evangelho.

Que Deus ilumine, fortaleça e anime a IPG para continuar adorando com alegria, entusiasmo e sinceridade. Que o desejo por expansão jamais acabe e que o amor pelo Reino de Deus continue sendo uma marca daqueles que congregam na Rua dos Oitis 63/64.

Rev Alexandre Rodrigues Sena

Compartilhar