Em 31 de março de 2017 | Pastorais

Regozijai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação,
na oração, perseverantes; Rm 12:12

Alegria, paciência e perseverança. O apóstolo Paulo sintetizou com precisão a dinâmica da vida cristã. Um cristão não vive a plenitude do evangelho se não buscar e experimentar essas virtudes.

Quanto pensamos em alegria nos lembramos que a Bíblia nos ensina que a nossa alegria não depende das circunstâncias. Ela é baseada em algo maior, mais amplo: na perspectiva de que Deus sempre cuida de nós em cada situação. De que nossa redenção está assegurada, pois o Pai nos conduziu às mãos do Filho, de onde nada nem ninguém pode nos arrebatar. De que o Pai enviou o Espírito Santo para autenticar nossa filiação e herança, e garantir como um penhor a nossa salvação. Jesus nos ensinou que a presença dele em nossas vidas traria alegria ao coração e que esta alegria ninguém poderia tirar (Jo 16:22).

Quando pensamos em paciência nos vem o contexto: tribulação. Queridos não há cristianismo sem tribulação. Jesus mesmo nos alertou: “no mundo passais por aflições, mas tende bom ânimo eu venci o mundo”. (Jo 16:33) A vida cristã é vivida nos embates: luta contra o pecado, luta contra a opressão, luta contra o poder das trevas. Não é uma agenda fácil. Não se engane, se um cristão não está enfrentando uma dessas frentes há algo de errado com seu cristianismo. Ou ele não entendeu o que é pecado, ou ignora o próximo, ou não acredita que o inimigo anda em derredor como leão que ruge buscando alguém para devorar. Precisamos ter paciência em todos esses enfrentamentos. Destaco a paciência conosco mesmo na luta contra o pecado. Não somos perfeitos, mas somos chamados a ter o caráter de Cristo. É uma jornada espiritual que subimos de degrau em degrau. Leva tempo.

Quando pensamos em perseverança na oração lembramos que Deus nos ouve e nos atende (Sl 66:19). Mas isso acontece no tempo Dele, não no nosso. Aquela famosa palavra grega – kairos – diz tudo. O tempo é de Deus. Não podemos desistir de nossas buscas por não ouvirmos o SIM/NÃO/ESPERE de Deus. Ele promete que nos responderá. Jesus nos ensinou “pedi e dar-se-vos-á… pois todo o que pede recebe”. Devemos continuar buscando a face do Senhor em oração, procurando saber Sua vontade pra nós.

Deus te abençoe.
Rev Antonio Alvim Dusi Filho

Compartilhar