Pastorais
A história de Karen Klein

21 de agosto de 2012

Há pouco mais de um mês um novo vídeo estourou na internet. Com mais de 8 milhões de acessos, ele mostra uma senhora de 68 anos num ônibus escolar nos EUA sendo humilhada por adolescentes ininterruptamente por 10 minutos. No vídeo ela chega a chorar após ser chamada de “gorda”, “elefante” e de debocharem do seu penteado e aparelho auditivo. É assustador.

No meio desse desastre psicológico, uma pessoa teve uma brilhante ideia. Para proporcionar a senhora um descanso e uma boa aposentadoria, construíram uma página onde qualquer pessoa poderia doar qualquer valor para ela. O alvo inicial eram US$ 5.000,00 (cerca de R$10.000,00). A campanha fechou arrecadando aproximadamente R$1.400.000,00 (um milhão e quatrocentos mil reais). Que bela lição de solidariedade, tanto de quem teve a iniciativa como de todos que doaram.
Mas apesar de toda bondade demonstrada no fim dessa história, não podemos deixar que esse belo desfecho nos faça esquecer da perversidade desses adolescentes. Como todo ato, ele tem e teve perdão, mas nos serve de alerta sobre limites na família.
A Bíblia é clara:

“E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor” Efésios 6.4.

Se por um lado é importantíssima a demonstração do afeto e o carinho, também é vital que os pais saibam colocar limites aos filhos.

Não quero demonizar os pais dos adolescentes do vídeo. Não sei quem são, as ações que tomaram ou a maneira como criaram seus filhos (um deles inclusive pediu desculpas a Sra.Karen Klein). Mas sei que pais saudáveis sabem estabelecer limites, sabem criar seus filhos não com violência, mas com firmeza, sabendo que fazendo assim, estão construindo caráter e responsabilidade neles.
Para criar limites, os pais tem que abrir mão da popularidade em 1º lugar. No afã de querer agradar a qualquer custo, abandonam seu papel. O resultado é ruim para eles, mas pior ainda para os filhos que crescem sem esse limite interior. Assim se tornam inconsequentes nas mais diversas áreas e às vezes o caso é mais profundo e para que esse padrão seja quebrado será necessário ou de um médico, da polícia ou Jesus! O último caso é sempre o melhor, mas precisaria ter um custo tão alto?

Pense nisso com o seu filho! Pense que pode ser chato ser impopular como pais, mas que no fim das contas, como diz a Bíblia, é liberdade para eles:

“Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno.” Provérbios 23.14

Que Deus te abençoe

personal statement writers

Rev. Felipe Telles Ferreira

Share