Pastorais
A PREPARAÇÃO DO MUNDO PARA A CHEGADA DO REI

3 de dezembro de 2016

Um grande evento necessita de organização meticulosa, preparação antecipada e ambiente propício para sediar o acontecimento. A preocupação de uma noiva ilustra bem essa situação. Ela checa cada um dos detalhes à medida que se aproxima um dos momentos mais importantes da sua vida.

O nascimento de Cristo foi o evento mais importante e impactante da história. O minucioso cuidado divino para a encarnação do seu filho revela a sublimidade e a grandiosidade do que estava para acontecer. O Todo-Poderoso domina soberanamente sobre reis e sábios e estabelece os seus desígnios eternos na preparação do cenário para a chegada de Cristo.

A contribuição do império romano merece destaque neste processo. O poder político de Roma foi estendido sobre grande parte da humanidade e promoveu a unificação de várias nações. Uma consequência importante deste fato foi a pax romana, que aplacava a possibilidade de guerra entre estes povos. O mundo estava pacificado para a chegada do Salvador.

Se os romanos detinham o poder político, a formação intelectual daquele momento pertencia aos gregos. Através dos seus grandes e influentes filósofos, eles eram instigados a buscar soluções racionais para os diversos problemas e enigmas da vida. A pujança do comércio grego possibilitou a ramificação não apenas do conteúdo filosófico, mas também da língua por todo o império romano.

Acerca da preparação do povo judeu para a chegada de Cristo, o historiador Robert Nichols escreve: “Em parte alguma do mundo, ao surgir o Cristianismo, havia uma vida religiosa tão pura e tão forte como a existente entre os melhores representantes da religião judaica, cujos característicos essenciais eram dois: a mais alta concepção conhecida entre os homens, como resultado do ensino do Velho Testamento; e o mais alto ideal de vida moral que se conhecia, resultante dessa sublime concepção de Deus”. Além disso, havia uma forte expectativa pela chegada do Rei dos judeus, o Messias e Redentor que viria redimir seu povo.

Apesar dos esforços do imperador Augusto, a religião dos deuses gregos e romanos estava em declínio. A filosofia não conseguia responder aos dilemas e anseios das pessoas. O império havia degradado nos seus vícios e perversões. Por outro lado, existia paz para o livre trânsito, uma língua universal e um povo preparado espiritualmente para receber o Messias. Chegou a plenitude dos tempos para o nascimento daquele que veio transformar a história de milhares de pessoas em todo o mundo: Nasceu Jesus de Nazaré!

Rev. Alexandre Rodrigues Sena

Share