Pastorais
DEZEMBRO, MÊS DE BOA NOTÍCIA!

22 de dezembro de 2016

Irmãos, às vezes me parece que tratamos a questão do pecado como algo bastante abstrato e filosófico. As pessoas ficam discutindo se isso é pecado, se aquilo é pecado, e assim a discussão torna-se totalmente relativizada. Pecado é errarmos o alvo que Deus tem para nós. Pecado é qualquer coisa que o ser humano faz e que ofende a Deus. O fato é que todos somos vítimas dessa palavra. O pecado escravizou o gênero humano e nos matou espiritualmente. Encerrou toda a humanidade no desespero: não conseguimos nos relacionar com o Criador porque não acreditamos nesta comunicação, não conseguimos nos relacionar uns com os outros, pois queremos sempre preservar nossos interesses em detrimento do outro, não conseguimos nos relacionar com a criação sem a explorarmos de forma irresponsável e desregrada. O pecado mata a existência! A Bíblia Sagrada nos revela que todos somos pecadores e carecemos da Glória de Deus (Rm 3:23). É impressionante como o ser humano está refém desta condição. Basta olharmos ao redor. É desesperador constatarmos como caminhamos para a construção de uma sociedade cada vez mais desprovida de amor, misericórdia, pureza e bondade.

Aí, chega Dezembro! Tempo do Advento! A celebração do nascimento daquele que veio para nos transportar das trevas para a luz. Nas palavras do evangelista João, “A vida estava nele e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela.” (Jo 1:4-5). Irmãos, que boa notícia! Nossa esperança é renovada. Nós não somos mais reféns do pecado e não andamos mais na escuridão. O pecado não tem mais jurisdição sobre nós. Não somos mais filhos da ira! Não estamos mais submissos ao príncipe da potestade do ar! Fomos libertos! Saímos da morte eterna para a vida eterna. Irmãos, percebam, estamos perdoados! Tudo isto porque Cristo veio para morrer e nos dar redenção, comprando-nos através do derramamento do seu próprio sangue. Ele cancelou o escrito de dívida registrado contra nós, o qual ninguém seria capaz de saldar através de obras. Será que este fato não é capaz de nos encher de gozo e satisfação? De transformar a expectativa a respeito do novo ano que se aproxima? De trazer um novo foco sobre a vida? Na minha visão, não fazem muito sentido algumas discussões por aí sobre a estética dos símbolos de Natal, sobre a origem pagã do dia 25 de Dezembro que drenam tempo e energia por causa de um legalismo inócuo, e desperdiçam a oportunidade de celebrarmos o nascimento do Messias, a salvação, a redenção, a libertação do pecado. É tempo de anunciar!

Queridos, é tempo de Advento! Esta é a GRANDE NOTÍCIA!!! Vamos celebrar e dizer lá nos montes e em qualquer lugar!!!

Louvado seja o nosso Senhor Jesus Cristo.

Rev. Antonio Alvim Dusi Filho

Share