Pastorais
LUZ PARA OS NOSSOS CAMINHOS

29 de janeiro de 2021

Em minha última pastoral, falei sobre a questão da Palavra de Deus, à luz do Salmo 119, v. 18. Caminhando um pouco mais nesse mesmo salmo, chegamos ao verso 105. Esse é um salmo que trata sobre a realidade da Palavra de Deus na vida do crente. O salmista se utiliza de recursos para, não só ilustrar a sua linha de raciocínio, mas também auxiliar, de forma didática, a memorização desse salmo.

No Antigo Testamento, era prática comum a questão da oralidade, ou seja, determinada história sendo contada de geração em geração, preservando-se os detalhes. Diferentemente de hoje, quando alguns contam uma história buscando aumentá-la um pouco mais para ficar mais atraente, ou mesmo mais dramática, naquele tempo se tinha um especial cuidado pela preservação dos fatos, refletindo-se fielmente aquilo que foi transmitido. Lembre-se que Moisés escreveu o pentateuco, mas para escrevê-lo, precisou receber essas informações, cada detalhe, de fontes confiáveis.

Entrando, então, no verso 105 do Salmo 119, observamos que ele introduz uma nova sessão, que seria relativa à letra nun do alfabeto hebraico. Esse Salmo é dividido em sessões, cada uma delas se utiliza de uma letra do alfabeto hebraico, no início de cada frase, formando uma métrica e uma organização de palavras muito peculiar e bela. Essa sessão vai do verso 105 ao 112.

Calvino afirma, analisando o verso 105: “Neste versículo, o salmista testifica que a lei de Deus era seu mestre e guia em conduzir a uma vida santa. Assim, ele prescreve, por meio de seu próprio exemplo, a mesma regra para todos nós. É muitíssimo necessário que observemos esta regra, pois, enquanto cada um de nós segue o que parece ser bom a seus próprios olhos, nos tornamos enredados em labirintos inextricáveis e medonhos”. A Palavra de Deus aqui é colocada em oposição ao que o mundo oferece, com suas propostas indecentes e sedutoras.

Calvino continua em sua análise: “… a menos que a Palavra de Deus ilumine a vereda dos homens, toda a vida deles é envolvida em trevas e obscuridade, de modo que nada podem fazer, senão desviar-se miseravelmente do caminho certo. E, além do mais, quando nos submetemos com docilidade ao ensino da lei de Deus, não corremos o risco de nos desviarmos”.
Portanto, submeter-se à Palavra de Deus é muito mais do que, simplesmente, ler a bíblia diariamente. Implica em compromisso, alegria e disposição em fazer aquilo que ela nos impõe. O salmista, quando afirma que essa palavra é “lâmpada e luz” demonstra que qualquer outro caminho, fora da Palavra será de trevas e escuridão.

Minha oração é que você prossiga, firmemente, caminhando na luz, na Palavra do Senhor, entendendo que essa Palavra tem um protagonista, que não sou eu nem você, mas Cristo Jesus. Ele é a luz e o caminho.

Que Deus te sustente, abençoe e guarde sempre.
Rev. Guilherme Jayme Travassos Esperança

Share