Pastorais
Meu GPS diário

12 de julho de 2013

Era um dia de semana, 17 horas, saindo da Barra da Tijuca até Botafogo. Já sabia o que me esperava: trânsito, trânsito e trânsito. Não queria nem ouvir as notícias do rádio que diriam “trânsito complicado em…retenção na avenida…tudo parado na altura de…” e todas aquelas outras frases que não se deseja ouvir quando estamos dentro do carro. Eu estava certo: era um destino inevitável.

Em São Conrado e com o trajeto já definido na cabeça, resolvi ligar o GPS do meu celular pra ver se existia uma rota menos ruim pro meu final de tarde. Não tinha muita expectativa, mas liguei assim mesmo. “Vire a direita” a voz  me disse! “Niemeyer?? Esse GPS tá louco?”. Na verdade o doido era eu por ficar discutindo com uma voz gravada, mas mesmo assim resolvi aceitar seu comando. Em poucos minutos já estava no Leblon!

A partir daí todas as rotas que planejei foram contestadas pelo GPS. Em vez de virar na Bartolomeu Mitre, ele escolheu a orla. Nada de Figueiredo Magalhães, ele me mandou pela Princesa Isabel.  Quando achava que iria pegar a rua da Policlínica de Botafogo, ele me manda pela Praia do Flamengo. Por fim tinha chegado em casa por um caminho completamente diferente do que tinha planejado. Mas o melhor: em 50 minutos! Praticamente um milagre nesse horário.

A partir daí experimentei usar esse GPS até para os pequenos trajetos do dia-a-dia. Ir de casa até a igreja passou a ser uma surpresa. Ao invés de insistir no meu clássico caminho, pequenas alterações de rota têm me salvado preciosos minutos.

A reflexão da vida foi inevitável. Pela força do hábito insistimos em tomar certos caminhos que tem nos levado a colher resultados não tão bons. Achando que uma grande nova rota irá nos salvar, foge diante de nós a percepção de que pequenas mudanças podem gerar grandes transformações.

Mas o grande segredo não é somente mudar: é saber quem irá guiar você nas suas mudanças. O GPS olha de cima e por isso sabe o melhor caminho. Ele sabe o que está à frente, se há carros parados e bloqueios na estrada. Deus também! E sei que vez por outra também gostamos de discutir com Deus sobre os caminhos que Ele mesmo escolheu. Como loucos, achamos que por enxergar poucos metros à frente temos a condição de traçar a melhor rota. Quanta tolice! Ele vê de um jeito que você não vê e por isso sabe o melhor jeito de chegar no seu destino.

Todos os dias ligue o seu GPS da vida. Fale com Deus, leia a vontade de Deus, tenha um coração sensível e se submeta! Mesmo naquilo que você já está acostumado, “entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle e o mais Ele fará” Salmo 37.5.

Que Deus te abençoe

Rev.Felipe Telles Ferreira

Share