Pastorais
Não deixe seu cônjuge sentir sua falta

2 de maio de 2013

O tempo voa. Não há nada de novo nessa frase, mas vivemos com a impressão de que esse voo anda mais acelerado do que deveria. A vida está tão corrida que ao final do dia quantas vezes não temos a impressão de que deveríamos ter 30 horas para poder resolver tudo o que deveríamos? Há muito em que fazer em tão pouco tempo e nesse ritmo intenso temos que fazer escolhas para poder sobreviver ao desafio diário das 24horas.

Quando olhamos para a pilha de afazeres e comparamos com nossas horas percebemos que por vezes a conta não bate. E se não é possível pra fazer tudo entramos no dilema sobre do que podemos abrir mão. Vemos então que por melhor que ele seja, nosso chefe não irá compreender o atraso no relatório. Tampouco a companhia de gás vai aliviar a multa de atraso porque não tivemos como encarar a fila do banco para pagar a conta. O professor já havia dito que quem não entregasse o trabalho no dia marcado iria perder preciosos pontos. Mas há uma pessoa que não cobra multa, não demite e nem tira ponto: nosso cônjuge. E se não há a ameaça de algo tão concreto é ali que vamos deixar o barco correr mais solto sempre com a vazia promessa: “Amanhã, amor! Amanhã”.

Acontece que um dia chegamos em casa e percebemos que nos tornamos um ilustre desconhecido. O casamento está ali, mas com uma frieza digna de um inverno no Alasca. Os dois sabem o nome um do outro, mas não conhecem mais o coração. Conversam sobre o dia, mas não há mais aquela atenção característica de quem se gosta. O casamento se tornou uma empresa familiar: funcional, mas sem amor.

A Bíblia é sábia quando fala que: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu” Eclesiastes 3.1. Deus não nos chama a viver em um romance alienador onde os dois sobrevivem do doce mel do amor. Precisamos trabalhar, pagar as contas, estudar, dormir, estar com nosso cônjuge, estar com Deus e fazer tudo isso de maneira equilibrada sabendo que há tempo pra tudo. E quando desequilibramos nossa história vamos sofrer as consequências disso. Paulo diz: “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” Gálatas 6.7. Não se iluda, não vamos passar incólumes quando nos tornamos ausentes dentro da nossa própria casa.

Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias de tua vida fugaz, os quais Deus te deu debaixo do sol; porque esta é a tua porção nesta vida pelo trabalho com que te afadigaste debaixo do sol” Eclesiastes 9.9. Que mandamento delicioso de obedecer! Sim vamos nos afadigar em muitos trabalhos, mas não podemos esquecer que um dos maiores presentes aqui na terra é desfrutar a vida com quem amamos. Sim, nossa salvação em Jesus é a nossa maior alegria, mas podendo agora chamar Deus de  Pai, vemos que nessa relação nova, Ele se alegra quando vê que o que Ele uniu é fonte de vida para o casal.

Sabemos que a qualidade do tempo é fundamental, mas estar com seu cônjuge não pode ser como as férias: tão boas e tão raras. Não o deixe sentir sua falta. Presentei-o com a sua agenda dando a ele o melhor do seu tempo, o melhor dos seus dias, o melhor da sua vida.

Rev. Felipe Telles Ferreira

Share