Pastorais
NEle você pode confiar

27 de maio de 2013

Já houve um tempo em que a palavra de um indivíduo se cumpria a qualquer custo. Um tempo em que o zelo pela verdade era identificado nas conversas, nos acordos e nas negociações. Os tempos mudaram e a palavra da geração vigente é marcada por um profundo descrédito. Ao contratar um serviço, por exemplo, o contratado quer receber antecipadamente e o contratante negocia apenas se houver possibilidade de pagamento posterior. Isso por uma razão muito simples, o primeiro teme realizar a obra e não receber e o segundo, pagar e não obter o serviço. Nesse duelo de suspeição, o cheque pré-datado se tornou um grande aliado.

Saturados por trapaças e enganos no comércio, na política, no ambiente de trabalho, no espaço acadêmico e até nas relações familiares, não nos resta outra saída a não ser partir da desconfiança. Os contratos, com suas infinitas cláusulas, são instrumentos utilizados para resguardar-nos desta distorção moral que aflige a todos.

Ao transportar esse assunto para o ambiente cristão, surge o eminente perigo de nivelar a relação com Deus baseando-se na descrença impregnada em nossa consciência. A dúvida tem prioridade em relação à certeza e a insegurança se impõe diante da convicção. Se quase todos descumprem, porque Deus cumpriria suas promessas?

A Bíblia é um livro extenso, com letras miúdas e com folhas finas para apresentar que, durante milênios, independente da época e das circunstâncias, Deus cumpriu seus acordos. Ele jamais falhou, atrasou, mentiu, enganou ou distorceu suas promessas para com seu povo amado. O apóstolo Paulo escreveu para Tito o seguinte: “… fé e conhecimento que se fundamentam na esperança da vida eterna, a qual o Deus que não mente prometeu antes dos tempos eternos.” (Tt 1.2). O Salmo 33.4 vai ensinar que “… a palavra do Senhor é reta, e todo o seu proceder é fiel” e ao escrever a Timóteo, Paulo diz que mesmo quando somos infiéis, Deus permanece fiel, “pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo” (2Tm 2.14b).

Um dos critérios elementares para desenvolver a confiança ou a desconfiança é conhecer com quem está lidando. À medida que o seu conhecimento de Deus aumenta, naturalmente, a sua fé fortalece, seu coração descansa, seu fardo se torna leve, sua alegria transborda e a vida passa a ter motivos para celebração, gratidão e hinos de louvor. Quanto mais os feitos de Deus na história ocupar sua mente, maior será sua certeza de que Ele sempre cumpriu suas alianças, sempre abençoou seu povo, sempre os sustentou nas adversidades e continua executando sua benevolência e manifestando seu amor paterno.

Confie no Senhor, espere nele, ainda que você esteja impregnado por uma cultura de descrédito, saiba que Ele não é homem para mentir, pelo contrário, sua fidelidade foi experimentada por inúmeras gerações e manifestada no cumprimento da sua promessa de enviar Jesus Cristo, como salvador. Por isso, o apóstolo Paulo escreve: “Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?” Rm 8.32. O Deus que deu seu único filho por amor a você, certamente, cuidará de todas as outras áreas da sua vida.

 

Rev. Alexandre Sena

Share