Pastorais
O Culto Doméstico

27 de março de 2020

Corona Vírus, Covid-19, virose, vacina… palavras que temos escutado muito nesses últimos dias. Ao ligarmos nossa televisão, acessarmos algum site de notícias ou mesmo nas conversas pelo WhatsApp, essas palavras têm se repetido muito. É importante nos informarmos sobre esse tipo de assunto, afinal, nossas vidas e as vidas dos nossos familiares está em jogo. Ocorre que, como igreja, precisamos nos debruçar em um assunto muito mais importante para nós: A nossa comunhão com o Senhor.

Para isso, quero te desafiar a praticar o “Culto Doméstico” na sua casa, com a sua família.

Deuteronômio 6.4-9 é uma orientação muito clara aos pais de educar, ensinar e, principalmente, inculcar na mente dos pequeninos a Palavra do Senhor. Essa orientação, pensando nos tempos do Pentateuco, foi de fundamental importância, visto que a oralidade era a forma de se passar um ensino à diante. Mas veja, essa não era uma tarefa opcional aos pais. Eles precisavam fazer isso. Cabia a eles essa obrigação, para que os filhos da promessa, filhos da aliança, pudessem conhecer do Deus de seus pais. A palavra utilizada, no hebraico, para “inculcar” na mente das crianças, seria tal como uma orientação ao culto doméstico, ou seja, quando se deve falar de algo de forma repetida, pessoal e sinceramente. Deve-se ter insistência e intencionalidade, visto que inculcar algo não será de um dia para o outro.

A seguir, quero compartilhar com você 6 orientações que a professora Márcia Barbutti, responsável pela área de educação infantil da Editora Cultura Cristã, sugere:

1. Planeje esse tempo em família. Veja o melhor horário e faça ajustes, se necessário, até terem o horário e local mais adequados. Comece com dois ou três dias por semana e amplie até quatro ou cinco vezes. Não fique dando desculpas para não fazer, se falhar alguns dias, retorne e vá em frente. Persevere!

2. Lembre-se: é um culto a Deus. Não é bate-papo e nem é momento para lições de moral aos filhos. Seja focado.

3. Siga um roteiro básico e seja criativo. Não se esqueça que o Deus que amamos e servimos é criativo e não sonega sua criatividade àqueles que pedem e buscam. Procure bons livros e sites. Veja algumas dicas ao final do texto.

4. Seja simples, mas não superficial. Fale de uma forma que todos entendam e leve-os a refletir sobre o que estão ouvindo, orando e cantando. Mostre como as verdades aprendidas podem ser aplicadas no dia a dia.

5. Promova a participação. Crie um ambiente onde vocês possam expor e sanar dúvidas, compartilhar suas necessidades e conflitos e desenvolver habilidades – cantar, contar história, orar e ler em voz alta.

6. Seja breve. Fique atento aos filhos menores, pois sua atenção é limitada. David Merkh aconselha que seja de 5 a 10 minutos quando são pequenos e esse tempo aumentará à medida que crescerem. Joel Beeke, autor do livro “Adoração no Lar”, recomenda até 25 minutos, considerando filhos mais velhos.

O Telegram é um mensageiro parecido com o WhatsApp. A Editora Cultura Cristã está disponibilizando, diariamente, um roteiro de culto doméstico para todos. Acesse do seu celular esse link: https://t.me/editoraculturacrista.

Qualquer dúvida nos procure.
Que Deus te sustente, abençoe e guarde sempre.
Rev. Guilherme Jayme Travassos Esperança

Share