Pastorais
O PERDÃO TRAZ ALEGRIA

27 de fevereiro de 2015

“Se teu irmão pecar contra ti, repreende-o; se ele se arrepender, perdoa-lhe. Se, por sete vezes no dia, pecar contra ti e, sete vezes, vier ter contigo, dizendo: Estou arrependido, perdoa-lhe.”(Lucas 17.3,4)

O perdão é um processo espiritual de cessar o sentimento de ressentimento ou raiva contra outra pessoa ou contra si mesmo, decorrente de uma ofensa percebida, diferenças, erros, fracassos e cessar a exigência de castigo ou restituição.

O teólogo Tomás de Aquino escreveu: “Cristo, ao padecer por amor e obediência, ofereceu a Deus algo muito maior do que poderia ser pago em compensação por toda ofensa causada pela humanidade; primeiro em função da grandeza do amor pelo qual ele padeceu; segundo, devido ao valor da vida que ele entregou por essa satisfação, que era uma vida divina e humana; terceiro, devido à amplitude de sua paixão e a profundidade da dor que ele tomou sobre si.”

Cristo é o grande exemplo de perdão, mas Ele nos ensinou que diante de uma ofensa existem dois caminhos:

1º) o arrependimento e consequentemente o perdão.

2º) não arrependimento e consequentemente a exclusão. Em ambos os casos devem ser incentivados o dialogo, o amor, a esperança e o respeito. Os números representam o interesse de Deus em que haja o perdão e a reconciliação. Em Mateus encontramos o seguinte dialogo de Jesus com Pedro: “Então, Pedro, aproximando-se, lhe perguntou: Senhor, até quantas vezes meu irmão pecará contra mim, que eu lhe perdoe? Até sete vezes? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete.

Encontramos na Bíblia a tristeza de Jesus, Paulo e João quando enfrentaram barreiras em seus relacionamentos onde o perdão não foi o caminho da reconciliação. Fica evidente que alguns recusaram caminhar juntos destes homens de Deus por simples rebeldia a Palavra do Senhor. Isso nos conduz a triste realidade, mas mesmo assim não deve ser um empecilho para vivermos a maravilhosa alegria que o perdão nos traz.

Reconhecemos ao longo da história de homens e mulheres que o amor de Deus curou relacionamentos, restaurou vidas e trouxe a alegria. Jesus perdoou a Pedro, quando este arrependido, chorou amargamente por ter negado a Cristo. Paulo perdoou Marcos que havia abandonado o fervor missionário e arrependido voltou a aceitar a liderança de Paulo como pastor. João perdoou aqueles que afrontaram sua autoridade e doutrina como pastor da igreja, preferindo seguir o ensino de falsos religiosos, mas que depois foram buscar arrependidos a reconciliação. O perdão cura!

Quando pedimos perdão ou quando perdoamos, nosso coração fica leve, nossa relação com Deus fica desimpedida (Mt 6.12), nossos relacionamentos são transformados para melhor e nosso testemunho é mais eficaz.

Que Deus nos abençoe.

Rev. Leonardo Sahium

Share