Pastorais
OS PROFETAS FALAM DA CRISE POLÍTICA

8 de julho de 2016

As inúmeras gravações e delações que foram expostas recentemente à sociedade brasileira revelam as entranhas de um sistema político e empresarial altamente corrupto e que alimenta a ganância pelo poder e pela aquisição de riquezas ilícitas. Homens que deveriam somar forças para tornar o país mais justo, estável e próspero perverteram as suas funções e maquinaram o mal para o benefício próprio.
O Brasil implode estarrecido por imaginar que as informações acessadas são ínfimas diante das reais transações de propinas que alimentam diariamente este sistema, desde as menores prefeituras a mais alta cúpula política.

Os sentimentos de impotência, desesperança, vergonha, indignação e tristeza se sobrepõem. Aqueles que carregam algum fragmento de justiça, verdade e honestidade estão rendidos, abatidos e exaustos. Se por um lado é animador observar parte do judiciário trabalhando com seriedade para expor o caos, por outro é estarrecedora a conclusão de que o problema é endêmico e institucionalizado. Os raios de esperança oriundos da possibilidade dos políticos corruptos serem devidamente punidos e banidos da vida pública, são ofuscados pela ausência de líderes que, realmente, representam os anseios daqueles que almejam por uma transformação.

Este cenário é avaliado por economistas, sociólogos, juristas, filósofos, cientistas políticos, jornalistas e também por todos os brasileiros que expõem as suas percepções de acordo com a construção sociocultural. Outros países estão atentos aos acontecimentos que alvoroçam a realidade nacional. Mas o que os profetas bíblicos dizem? O profeta Habacuque afirma: “fazem-se culpados estes cujo poder é o seu deus” (Hc 1.11). Miquéias profetiza: “Com as mãos prontas para fazer o mal, o governante exige presentes, o juiz aceita suborno, os poderosos impõem o que querem; todos tramam em conjunto” (Mq 7.3). Isaias diz que este mal resulta de uma nação que despreza o Senhor: “Ai, nação pecadora, povo carregado de iniquidade, descendência de malfeitores, filhos corruptores; deixaram ao Senhor, blasfemaram o Santo de Israel, voltaram para trás.” (Is 1.4).

O problema não é apenas brasileiro. A maldade impera em todo o mundo e entristece indivíduos, lares e nações. No entanto, felizmente, a Bíblia revela a solução para esta amarga questão: “Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor” (Sl 33.12). Deus é a fonte que faz jorrar a verdadeira alegria sobre as nações, por isso, Ele mesmo orientou o rei Salomão quanto ao caminho para que isso ocorra: “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra”. (2 Cr 7.14). Este sempre foi o convite do Senhor através dos profetas: “arrependei-vos!”.

Que a igreja obedeça esta instrução e que o Senhor visite a nação promovendo contrição, cura e restauração.

Rev. Alexandre Rodrigues Sena

Share