Pastorais
PROSPERIDADE FINANCEIRA

30 de janeiro de 2015

Quando falamos em vida financeira na igreja, sempre encontramos o desafio de recebermos

certos “rótulos”. Para alguns a questão financeira na Bíblia é uma Lei que deve ser cumprida

integralmente. Outro grupo acredita que as contribuições devem ser espontâneas e, portanto sem

um valor determinado, como os dízimos, por exemplo. Outros acreditam que quanto mais você contribuir com fé, mais Deus estará obrigado a honrar a Palavra de prosperidade dele com a pessoa que ofertou. Finalmente, existem aqueles que acreditam que podem governar sua contribuição para a obra de Deus, através de doações a projetos de assistência sociais, obras humanitárias, sem consagrar seu dízimo na Igreja.

Diante de tantas propostas e pensamentos, devemos perguntar de maneira bem simples: O que a Bíblia nos ensina sobre o caminho da fidelidade e prosperidade financeira?

1º) Deus é o criador de todas as coisas e de todas as pessoas (Isaías 45.12);

2º) Deus é o dono do ouro e da prata e Ele abençoa com riquezas quem Ele desejar abençoar (Ageu 2.8).

3º) O cristão no Antigo Testamento é chamado por Deus para devolver a décima parte de seu salário ao Senhor (dízimo significa 10%). Isto era feito no Templo, onde havia uma sala chamada “casa do tesouro” (Malaquias 3.10).

4º) Jesus Cristo falou que não veio revogar a Lei (Antigo Testamento) mas cumprir e disse que ninguém deveria deixar de consagrar o seu dízimo na Igreja (Mateus 5.17-20 e Lucas 11.42).

5º) Os dízimos (10%) e as ofertas (aquilo que estiver proposto em seu coração) devem ser consagrados com alegria, pois, quem é cristão sabe que tudo o que tem vem da graça de Deus. Deus nos faz mordomos de nosso dinheiro e isso deve ser feito com alegria e não por constrangimento ( 2 Coríntios 9.7).

Quais são as promessas de Deus, para quem observa estes pontos acima descritos?

Deus que sonda mente e corações, não aceita trocas com Seu povo. Não existe uma relação de negócio com Deus. Nosso SENHOR abençoará aqueles que entenderem e forem fiéis por amor a Deus. Ele abençoará com alegria aqueles que consagrarem com generosidade e desprendimento, porque fazem isso por gratidão ao SENHOR. A Lei não foi revogada assim como as Promessas também não foram revogadas. Ao contribuir na Igreja, nós mostramos um coração cheio de fé no Deus que nos criou, salvou e sustenta em todas as coisas. A Igreja com estes recursos abençoa milhares de vidas. Nós desfrutamos do conforto de uma Igreja organizada, e da alegria de ver os recursos sendo usados na proclamação do evangelho, no sustento de famílias que servem a Deus (pastores e missionários) e na assistência aos carentes.

“Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará” (2 Coríntios 9.6)

“Provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida” (Malaquias 3.10).

Que Deus nos abençoe.

Rev. Leonardo Sahium

Share