Pastorais
Quem eram os magos do Natal?

6 de dezembro de 2013

“E perguntavam: Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos para adorá-lo.” Mt 2.2

Jesus Cristo nasceu em Belém, conforme estabelecia as profecias acerca do Messias descendente de Davi.  Porém, ele recebeu a visita dos magos e isso evidenciava que seu reinado não se restringiria à nação de Israel, mas alcançaria todo o mundo.

Estudiosos indicam que os magos estudavam as estrelas e tinham grande interesse pela religião. William Hendriken, por exemplo, escreve que os magos “criam num só Deus, no dever do homem praticar o bem, na necessidade da oração e na nobreza do trabalho, especialmente da agricultura.”

Se o surgimento destes personagens já causa estranheza em Jerusalém, quanto mais a pergunta que fazem: “onde está o recém-nascido Rei dos judeus?”.  Os magos não expressaram quaisquer dúvidas quanto ao aspecto real e majestoso da criança e a pergunta é restritamente acerca da sua posição geográfica. Provavelmente, eles obtiveram a informação do nascimento do Rei dos judeus através de estudos do Antigo Testamento, pois havia na Babilônia uma grande comunidade de judeus.

Não há um registro exato acerca da quantidade de magos, suas bioagrafias não foram publicadas e nem mesmo dados que indicam o local exato de suas residências. No entanto, o evangelho de Mateus enfatiza o propósito central deles, adorar o Rei dos judeus.  Sendo assim, a primeira adoração que o Deus encarnado recebeu não foi dos escribas, nem dos fariseus, nem dos sacerdotes e profetas, mas dos gentios representados por aqueles homens do Oriente.

Os magos são guiados por uma estrela ao lugar onde Cristo estava. O comentarista bíblico D. A. Carson afirma que, quase com certeza, a estrela é uma referência à Nm 24.17: “Uma estrela surgirá de Jacó; um cetro se levantará de Israel“. Os teólogos não ousam explicar a origem, o formato e a trajetória desta estrela, mas apenas dizem que foi a maneira de Deus conduzir estes homens até o menino Jesus.

Quando os magos encontram a criança, ele já está numa residência e assim o reverenciam como o Rei dos Judeus.  Em seguida, oferecem seus tesouros com o propósito de honra-Lo. Os presentes são: ouro, incenso (suco branco de uma árvore do sul da Arábia e da Somália) e mirra (pequena árvore da Arábia que perfumava camas, casas e preparava corpos para sepultura). De acordo com  Hendriksen, há um valor simbólico nos três presentes – ouro, sugerindo realeza; incenso, divindade e mirra, a paixão e o funeral de Cristo.

Que neste natal, Cristo seja honrado e reverenciado como Rei eterno, Deus de amor e Cordeiro Santo que veio ao mundo morrer para conceder aos homens a vida eterna. Feliz natal!

 

Rev. Alexandre Sena

Share