Pastorais
Um dia das mães diferente

9 de maio de 2020

Esse período de pandemia em que vivemos está nos fazendo refletir sobre uma série de questões. Pensar no tempo e nas conversas que tínhamos uns com os outros nos lembra que, cada momento é muito precioso, e devemos valorizá-lo.

Essa pandemia também nos obrigou a lidar com uma questão muito preciosa aos olhos de Deus, que é o relacionamento. O Deus relacional, o Deus pessoal, que se importa conosco, que tem prazer em relacionar-se com os Seus, nos revela, em Isaías 66.13 o seguinte: “Como alguém a quem sua mãe consola, assim eu vos consolarei; e em Jerusalém vós sereis consolados”

É maravilhoso saber que o Deus de todo o universo, criador dos céus e da terra se compara a uma mãe, para expressar o amor, o abrigo, o aconchego que devemos ter Nele. Esse é um dos poucos versos da bíblia onde Deus é comparado a uma mãe. Nos mostra a profunda preocupação e cuidado de Deus por Seus filhos.

Quando Deus nos dá coragem, esperança, disposição, Ele não o faz à distância, de forma impessoal, mas o faz como uma mãe, que conhece seus filhos, que se dedica a eles e que tem prazer em consolá-los. Essa é uma expressão do envolvimento íntimo e pessoal de um Deus amoroso, com Seu povo.

O texto de Isaías nos mostra, ao observarmos na língua original, que esse filho a ser consolado pela mãe não é uma criança, mas já alguém adulto. Isso claramente nos aponta que as carências desse filho não são somente físicas, mas, principalmente, de ordem espiritual. Carências de alguém que, mesmo adulto, sabe bem que tem consolo em meio às lutas e enfrentamentos do dia-a-dia.

Outro ponto de destaque nesse versículo é que, por três vezes, o autor nos fala acerca do consolo, mostrando que, de fato, Deus é quem nos consola. Esse consolo é trabalhado por Isaías 61.2 – “a apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram” – e, mais tarde, pelo próprio Senhor Jesus, em Mateus 5.4 – “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados”.

Portanto, nesse dia das mães, que o Deus de toda a terra, o Deus do universo, seja para você abrigo, conforto, guarida, segurança, paz, esperança, salvação… consolo! Você que é mãe, não tenha outro padrão de maternidade do que aquele que o próprio Deus nos revelou em Sua Palavra. E você que é filho, de igual forma, busque o padrão do amor de Cristo para o relacionamento com sua mãe, independentemente das circunstâncias. Caso haja entre você e sua mãe alguma questão a ser resolvida, resolva. Se for preciso algum pedido de perdão, peça. Se for preciso arrependimento, se arrependa. Lembre-se que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Amor incondicional, ou seja, que não tem variação de tempo nem de circunstância. 

Minha sincera oração é que o Senhor abençoe a todas as mães de nossa igreja. Que Ele as capacite, dando sabedoria e discernimento. E que você, filho, ame sua mãe, aproveite esse momento para ligar, para sorrir, para se alegrar com ela.

Que Deus te sustente, abençoe e guarde sempre.

     Rev. Guilherme Jayme Travassos Esperança

Share