Pastorais
UM POUCO MAIS SOBRE O DESERTO DE ELIAS

21 de agosto de 2020

“Basta; toma agora, ó SENHOR, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais.”

1Reis 19.4b

Domingo passado, à noite, preguei sobre esse momento do profeta Elias, quando ele chega a pedir ao Senhor que lhe tire a vida. Concluímos que o profeta estava em um estado de colapso emocional, e que o anjo do Senhor, que tratou dele na caverna, é para nós como Cristo, que trata de nossas mais profundas angústias, medos e temores. Caso você não tenha assistido, recomendo que veja em nossos canais do Youtube e Facebook.

Elias fugiu justamente porque foi ameaçado de morte por Jezabel, esposa de Acabe, uma vez que seus profetas e seu ídolo haviam sido derrotados por Elias, no Monte Carmelo. Ante a pública humilhação, ela resolve enviar uma carta ameaçadora a Elias. O mesmo Elias que havia derrotado os profetas de Baal no capítulo 18, é o Elias que se mostra apavorado nesse capítulo 19.

No livro “Quando os problemas aparecem”, o autor nos traz alguns pontos interessantes, que podem ter influenciado Elias a chegar a esse extremo de angústia e sofrimento em sua alma.

Primeiro fator é a fadiga – Elias estava exausto. Havia corrido quase 30 Kms até Jezreel, depois mais 144 Kms até Berseba. Quando finalmente chegou ao Monte Horebe, lugar de término de sua viagem (1Reis 19.8), já havia percorrido incríveis 480Kms. Por mais atlético que fosse, Elias estava, sem dúvida, muito cansado. Uma pessoa cansada é uma pessoa vulnerável.

Segundo, o isolamento – É muito difícil para o cristão viver fora da comunhão dos santos. Estamos percebendo isso no tempo em que estamos de isolamento social por razões sanitárias. No entanto, Elias esteve quase totalmente sozinho por três anos. E agora, novamente, se vê sozinho nesse período de deserto.

Terceiro, a oposição espiritual – Elias havia permanecido de pé sozinho contra os profetas de Baal. Mesmo vencendo, ele sofre oposição de Jezabel. Assim, o profeta ficou sob ataque espiritual direto.

Quarto, os ritmos normais da emoção humana – Elias acaba de experimentar um ponto alto espiritual, a experiência máxima no cume da montanha. Ele testemunhou os poderosos feitos de Deus no fogo do monte Carmelo. Mas depois desceu e deprimiu-se, frágil e esgotado.

Muitos fatores contribuíram para esse estado em que Elias se encontrou. Se você estiver enfrentando um estágio semelhante ao de Elias, saiba que o quanto antes você identificar suas causas, melhor será. Se nossos corpos estão desmoronando, temos de comer refeições saudáveis, equilibradas e, se necessário, receber cuidados médicos apropriados. Se estivermos isolados, precisamos nos envolver mais com a igreja, conversando e mantendo contato com nossos irmãos. Se estivermos sob ataque espiritual, devemos orar pedindo proteção espiritual. Se estivermos carregados de culpa, devemos confessar nossos pecados a Deus e uns aos outros.

Apesar de serem soluções objetivas, elas ainda sim são limitadas. Elias, assim como nós, precisava de um Salvador. Jesus Cristo é o Salvador de que precisamos, que nos chama a descansarmos nele, que nos diz que sem ele nada podemos fazer, e que nos fala: a minha graça te basta.
Que você busque ao Senhor e encontre nele o descanso e o sustento de que tanto precisa.

Que Deus te sustente, abençoe e guarde sempre.

Rev. Guilherme Jayme Travassos Esperança

Share