Skip to content

Quem Somos

Nossa História

Em 12 de agosto de 1859, o Rev. Ashbel Green Simonton, 26 anos de idade, desembarcava no Rio e, em 12 de janeiro de 1862, inaugurava a Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro, com a recepção dos dois primeiros convertidos e, em seguida, a celebração da eucaristia. O sacramento da Santa Ceia foi ministrado, simultaneamente, em inglês pelo Rev. Schneider e em português pelo Rev. Simonton.

Em dezembro de 1865 já existiam três igrejas presbiterianas, Rio de Janeiro, São Paulo e Brotas, e os três pastores presbiterianos, Rev. Simonton, Rev. Blackford e Rev. Schneider resolveram organizar um Presbitério; o Presbitério do Rio de Janeiro. No dia 16 de dezembro, o presbitério foi instalado e o Sr. José Manoel da Conceição, ex-padre católico romano e candidato ao ministério, foi examinado. No dia seguinte, domingo, Conceição, pregou o sermão de prova pela manhã e foi ordenado à tarde. O registro civil do presbitério ocorreu em 11 de outubro de 1872, na forma de Sociedade Presbyterio do Rio de Janeiro, conforme publicação no Diário Oficial do Império do Brasil.

Nos anos seguintes, a Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro se fortaleceu e seus membros iniciaram várias congregações. Uma delas se reunia no bairro de Copacabana em 1909, pouco depois da inauguração do túnel, nas casas de alguns membros e numa casa alugada na Rua Barata Ribeiro, 331. Após dois anos decidiram comprar um terreno e construir um templo. Em 20 de setembro de 1913, o Templo foi inaugurado e consagrado ao Senhor. No dia seguinte ocorria a organização oficial da Igreja Evangélica Presbiteriana de Copacabana.

A Igreja cresceu em número de membros e aumentou suas instalações. Diversos pastores assumiram seu pastorado, mas a maior contribuição foi do Rev. Benjamin Moraes, que trabalhou, continuamente, nesta obra de 1936 até 1972, quando recebeu o título de Pastor Emérito. Sob sua gestão e com uma visão evangelizadora e de ação social, o Conselho da Igreja de Copacabana decidiu comprar duas casas geminadas na Rua dos Oitis, 63 e 63A, para ali instalar o Lar Presbiteriano e um ponto de pregação. O trabalho na Gávea seguiu com a cooperação e a dedicação de muitos, mas somente ganhou expressão após a contratação do Rev. Elias Medeiros, como pastor auxiliar e missionário.


O jovem Rev. Elias e a esposa Dra. Dóris foram apresentados à Igreja Presbiteriana de Copacabana na manhã do dia 24 de janeiro de 1965. Este casal, vindo de Minas Gerais, se alojou em parte das dependências do Lar Presbiteriano, no próprio local onde deveria desenvolver sua missão. Logo o Rev. Elias propôs um plano de reforma nas casas da Rua dos Oitis. O Conselho concordou e designou uma comissão para acompanhar as obras. Em 1967, o Conselho de Copacabana transferiu, oficialmente, 126 membros, 81 maiores e 45 menores, para integrar a Congregação da Gávea, autorizou o Rev. Elias Medeiros a prestar serviços à futura igreja até esta escolher seu próprio pastor.

Era 20:30h da noite de 31 de outubro de 1967, terça-feira, quando foi iniciado o culto solene de instalação da Igreja Presbiteriana da Gávea, oficiou a cerimônia o Rev. Zaqueu Ribeiro, presidente do Presbitério do Rio de Janeiro. O templo era um grande galpão atrás das casas com estrado de madeira para o púlpito e cadeiras soltas para a congregação. Durante o culto foram instalados e ordenados 5 diáconos e cinco presbíteros, eleitos durante a primeira assembléia da igreja, no domingo anterior.

 

Nossa Visão

VALORES E PRINCÍPIOS

A Igreja Presbiteriana da Gávea não abre mão da crença nos seguintes princípios:

  1. Soberania de um Deus triúno, Pai, Filho e Espírito Santo;
  2. Salvação pela graça mediante a fé em Jesus Cristo como único mediador entre Deus e os homens;
  3. A Bíblia como única regra de fé e prática;
  4. Um sistema de governo democrático e participativo

A IGREJA PRESBITERIANA DA GÁVEA ESTÁ FUNDAMENTADA NOS SEGUINTES VALORES

  • Vida de oração;
  • Ensino da Palavra;
  • Amor ao próximo;
  • Vida comunitária;
  • Vida de Santidade;
  • Valorização da família;
  • Valorização da participação feminina;
  • Ministérios e liderança orientados pelos dons;
  • Identidade Reformada, com filiação à Igreja Presbiteriana do Brasil.
 

Nossa Liderança

EQUIPE PASTORAL

MINISTÉRIOS

PRESBÍTEROS

O Presbítero é o representante imediato do povo, por este eleito e ordenado pelo Conselho, para, juntamente com o pastor, exercer o governo e a disciplina e zelar pelos interesses da Igreja a que pertencer, bem como zelar pelos de toda a comunidade, quando para isso eleito ou designado (Artigo 50 da CI/IPB).

São funções do presbítero:

  • Levar ao conhecimento do Conselho as faltas que não puder corrigir por meio de admoestações particulares;
  • Auxiliar o pastor no trabalho de visitas;
  • Instruir os neófitos, consolar os aflitos e cuidar da infância e da juventude;
  • Orar com os crentes e por eles;
  • Informar o pastor dos casos de doenças e aflições;
  • Distribuir os elementos da Ceia do Senhor;
  • Tomar parte na ordenação de ministros e oficiais;
  • Representar o Conselho no Presbitério, este no Sínodo e no Supremo Concílio (Artigo 51 da CI/IPB).
Conselho da igreja:
Rev. Dr. Leonardo Sahium (Presidente)
Rev. Alexandre Rodrigues Sena
Rev. Guilherme Jayme Travassos Esperança
Aggeu Barthen Barbeitas (Emérito)
Celso Duarte de Carvalho (Emérto)
Rui Otávio Bernardes de Andrade
Jefferson Paranhos Santos (Vice-Presidente)
Wilson de Souza (Representante junto ao PRJN)
Antônio Claudio de Carvalho Monteiro da Silva (Secretário)
Antonio Carlos Ferreira (Emérito)
Jackson Carvalho Guedes
Luiz Antônio Jóia
Sérgio Rosa

JUNTA DIACONAL

O diácono é o oficial eleito pela Igreja e ordenado pelo Conselho, para, sob a supervisão deste, dedicar-se especialmente (Artigo 53 da CI/IPB):

  • À arrecadação de ofertas para fins piedosos;
  • Ao cuidado dos pobres, doentes e inválidos;
  • À manutenção da ordem e reverência nos lugares reservados ao serviço divino;
  • Exercer a fiscalização para que haja boa ordem na Casa de Deus e suas dependências.
  • O Presbítero e o diácono devem ser assíduos e pontuais no cumprimento de seus deveres, irrepreensíveis na moral, sãos na fé, prudentes no agir, discretos no falar e exemplos de santidade na vida (Artigo 55 da CI/IPB).
Efetivos
Conselheiro: Rev. Alexandre Rodrigues Sena
Alfredo Heleno de Oliveira (Emérito)
Anderson Castro Sanches
Antonio Carlos dos Santos
Fernando Augusto Andrade Ferreira Dias (Vice-Presidente)
Filipe Machado Guedes (Presidente)
Jaci Dias David
João Souza Viana (Emérito)
José Carlos Martelotte
José Soares do Nascimento (Tesoureiro)
Manoel Rocha Lopes (Emérito)
Marcelo Bianchi dos Santos
Marcos Vinícius Medeiros da Silva (Secretário)
Oscar Vita Decotelli da Silva
Paulo Marques Quirino
Sérgio Luiz Troufa Campos
Severino Martins de Melo

Auxiliares
Alexandre Wennerström
Anna Torres de Souza
Dyenes Henrique de Souza Lima
Felipe Costa Holanda
Heitor de Albuquerque Lima
Hori Vieira
Jomar da Silva Leal
Luiz Carlos Alves Lima
Marco Antonio Perez Rosa
Margarida Maria Santos Whitaker
Ricardo Luis Soares Rodrigues
Rosana Henrique Sanches
Samir de Oliveira Ferreira
Solange Carvalho Cunha da Motta
Thiago Henrique Sanches Bossa
Valéria Marins Paschoal

MÚSICA

Maria das Graças Sousa

LOUVOR

Estevan de Oliveira

ORAÇÃO e DÉBORAS

Ledir ( Rev Leonardo e Rev Guilherme)

COMUNICAÇÃO

 Rev Leonardo e Rev Guilherme

ENSINO

Pb Jackson Guedes   (Rev Leonardo)

GRUPOS PEQUENOS

Rev Leonardo

FAMÍLIA e ECC

Márcio Nóboa e Raquel, Olga e Jefferson, Pb Antonio Carlos e Myriam, Sergio Campos e Lucimar, Raquel e Márcio Noboa            (Rev Leonardo)

COMUNHÃO

Olga e Jefferson ( Rev Alexandre)

CONFERÊNCIAS

Paulo Peixoto e Andrea, Alexandre e Leila ( Rev Leonardo)

ADMINISTRAÇÃO

Sérgio Campos (Rev Leonardo)

MISSÕES

Pb Antônio Claudio, Pb Sérgio Rosa ( Rev Leonardo)

CABINE

Carlos (Rev Leonardo)

SOM

Cosme ( Rev Leonardo)